Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

CidadeMais conta com Adriana Calcanhotto para imaginar um mundo mais sustentável a partir do Porto
13-06-2019
O festival anual dedicado à sustentabilidade e ambiente volta aos Jardins do Palácio de Cristal de 5 a 7 de julho, de acesso totalmente gratuito. A 6.ª edição do CidadeMais é dedicada ao tema "Imagina" e tem a cantora Adriana Calcanhotto como uma das principais oradoras.

A programação inclui conferências, espaço de conversas, mostra de projetos, o mercadeco, um espaço de encontro de associações, concertos, oficinas, aulas abertas, performances e cinema.

A artista brasileira Adriana Calcanhotto é a orada convidada da conferência de abertura, às 18,30 horas de 5 de julho no Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, que será subordinada à temática "Quão livre está a nossa imaginação?".

"Adriana Calcanhotto é mais conhecida pela sua música, mas está a ter um papel ativista no âmbito da sociedade e ambiente muito relevante ", explicou Sara Silva, cofundadora e coordenadora do CidadeMais. Falando na sessão de apresentação da iniciativa, esta manhã no espaço Maus Hábitos e em que participou também Isabel Barros, diretora do Balleteatro (parceiro artístico da iniciativa), a responsável destacou igualmente a configuração do evento que permite "envolver oradores, formadores e públicos através de formatos mais dinâmicos de participação".

Filipe Araújo, vice-presidente da Câmara do Porto - principal parceira da iniciativa - e vereador do Ambiente, elege o CidadeMais como "o evento do Porto para falar de sustentabilidade". "O CidadeMais tem envolvido vários temas que se revelaram muito importantes no delinear a estratégia municipal ambiental e de sustentabilidade na cidade", disse, dando como exemplos a economia circular ou a discussão sobre o uso do pesticida glifosato.

O responsável político explicou também que a Câmara do Porto tem desenvolvido uma forte aposta na sustentabilidade ambiental, com uma "ligação umbilical do Pelouro do Ambiente aos restantes pelouros". "Hoje, o ambiente é visto numa lógica muito transversal porque, quando estamos a falar de sustentabilidade, estamos a falar de economia e de uma série de paradigmas que é preciso alterar em várias áreas. Daí, termos de trabalhar desta forma tão transversal", enfatizou Filipe Araújo, mostrando como exemplos a mudança de frota, a aposta numa mobilidade suave ou a revisão do PDM que terá uma estrutura ecológica na sua base. 



Nos principais destaque desta edição, volta a incluir-se o "Mercadeco", que conta (à data) com cerca de 35 inscritos para apresentarem um mostra de produtos e serviços entre artesanato, vestuário, produtos alimentares, cosmética natural e outros. Haverá também a presença de 15 associações locais com os seus projetos ligados ao ambiente, uma oferta de alimentação com as habituais ementas vegetarianas e vegan, vinho biodinâmico e cerveja artesanal, um encontro de hortas urbanas e conversas com ativistas ambientais.

O público infantil conta com oficinas variadas, jogos colaborativos, uma conversa sobre o papel das escolas na construção dum mundo melhor e outras atividades.

+Info: CidadeMais