Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Cidade assinala hoje o Dia Nacional da Língua Gestual em várias frentes inclusivas
15-11-2019

Esta sexta-feira, dia 15 de novembro, celebra-se o Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa e a cidade do Porto não deixa passar a data em branco, quer hoje quer nos demais dias do ano. Município, Academia e serviços de transporte públicos estão sensibilizados para garantir a inclusão das pessoas surdas ou com dificuldades auditivas.


Como é caso do Gabinete do Munícipe, que tem melhorado o seu serviço com a sucessiva aposta em medidas que pretendem anular barreiras na acessibilidade à informação e contribuir para uma sociedade mais inclusiva, de que é exemplo o lançamento do serviço de interpretação para cidadãos surdos, há mais de dois anos. Ou seja, qualquer cidadão surdo ou com deficiência auditiva que se dirija àquelas instalações da Câmara do Porto é atendido no imediato por um intérprete em Língua Gestual Portuguesa (LGP), através de videochamada.


Também no Teatro Municipal do Porto - Rivoli este cuidado está latente em numerosos eventos que asseguram interpretação simultânea em Língua Gestual, como é o caso de diversas sessões do Fórum do Futuro e outros espetáculos.

Já na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da U.Porto decorre até dia 20 (próxima quarta-feira), uma exposição sobre a "História da Educação de Surdos em Portugal 1823-2019", de entrada livre. Mas esta não foi a primeira iniciativa no meio académico a privilegiar a comunicação por Língua Gestual Portuguesa. Em 2016, foi produzido um vídeo que recorda a importância desta língua e desafia a aprofundar o seu conhecimento, para que todos os estudantes se sintam integrados.

Por seu turno, a Metro do Porto tem instalado, na estação de Metro dos Aliados um tradutor de língua gestual bidirecional automático, no piso -2. Trata-se de um ecrã gigante, interativo, que cobre seis idiomas e ajuda os utilizadores surdos na resposta a um sistema simples de perguntas, através de um avatar. O projeto foi desenvolvido por investigadores do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), com parceria da Câmara do Porto.