Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Centros de Saúde de Ramalde e da Batalha já servem a população
11-02-2020

Rui Moreira e António Costa estiveram ontem à tarde, lado a lado, na inauguração de dois equipamentos de cuidados de saúde primários na cidade do Porto: o Centro de Saúde de Ramalde, cujas obras de construção foram garantidas pela Câmara, num investimento que rondou os 800 mil euros, e a Unidade de Saúde Familiar da Batalha, com requalificação assegurada pelo Governo. Dois terços do plano conjunto estabelecido entre Município e Estado Central estão cumpridos; é dado agora seguimento à construção do Centro de Saúde de Azevedo de Campanhã.


Como referiu esta segunda-feira o presidente da Câmara do Porto, durante a visita inaugural àqueles dois centros de saúde, o protocolo de colaboração entre o Município e a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte) remonta a setembro de 2016 e partiu do compromisso municipal "em melhorar as condições de acesso dos portuenses aos cuidados de saúde primários".

Ainda nesse ano, as duas entidades elaboraram a "Carta dos Equipamentos de Cuidados de Saúde Primários" e, de acordo com as palavras de Rui Moreira, com o especial envolvimento do atual diretor do Centro Hospitalar de São João, Fernando Araújo, há época secretário de Estado Adjunto e da Saúde. Este instrumento de planeamento a médio prazo, pioneiro ao nível do país, identificava, entre outros aspetos, as zonas do território do concelho do Porto onde era preciso apostar em novas instalações de cuidado de saúde primários.



Foram identificadas três: Ramalde, Batalha e Azevedo de Campanhã. Em Ramalde, num antigo terreno onde existiam há 30 anos ruínas de um centro social inacabado, a Câmara do Porto assumiu o encargo de construir a nova Unidade de Saúde local, num investimento aproximado de 800 mil euros. Em contrapartida, o Governo garantia a entrega de um terreno à autarquia em Justino Teixeira (Campanhã).

Por seu turno, o Ministério da Saúde assumiu a responsabilidade de requalificar a antiga Unidade de Saúde da Batalha, fechada há anos, local de paragem obrigatória no roteiro desta segunda-feira.

Solução para Azevedo de Campanhã está a ser ultimada

Durante a visita, que também contou com a presença da ministra da Saúde, Marta Temido, do vereador da Habitação Social, Fernando Paulo, e de dirigentes da ARS-Norte, Rui Moreira assegurou que, na continuidade do acordo estabelecido, vai ser agora erguido o novo Centro de Saúde de Azevedo de Campanhã, pelo que partilhou o ponto de situação do dossiê.

"Estamos agora a ultimar a solução para a Unidade de Saúde de Azevedo, que tem para nós uma representação muito especial, porque há seis anos e meio, quando tomámos posse, esta unidade ia fechar e, na altura, chamámos veementemente o Governo para a necessidade de a manter", afirmou o autarca, informando que, mais recentemente, foi promovida uma reunião com o proprietário, com o objetivo de a Câmara adquirir o imóvel, realizar as obras necessárias e, posteriormente, "contratualizar a cedência, com o Ministério da Saúde, nos termos a acordar".

Segundo informou ainda o autarca, "o vereador Fernando Paulo tem vindo a conversar com a Administração Regional de Saúde do Norte e com a diretora do Agrupamento de Centros de Saúde Porto Oriental, que se mostrou disponível no interesse da manutenção desta resposta em Azevedo". Durante a visita, também a dirigente do ACES Porto Oriental, frisou o empenho do Município nesta matéria.

O primeiro-ministro assumiu que nesta legislatura o Governo pretende generalizar o modelo das Unidades de Saúde Familiares (USF), por ser um "modelo de gestão ideal". No Porto, as duas novas instalações "reforçam a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde, melhorando a prestação de cuidados de saúde de proximidade aos cerca de 27.000 utentes inscritos nas duas unidades", diz ARS-Norte.