Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Centro de Recolha Oficial de Animais já foi adjudicado e construção avança no próximo trimestre
18-01-2018
A construção do Centro de Recolha Oficial de Animais, que substituirá o velho canil do Porto, está adjudicada. O processo segue agora para o Tribunal de Contas para obtenção do visto, aguardando-se que a obra possa iniciar-se no próximo trimestre. 

Esta é há muito uma pretensão da cidade. O Centro de Recolha, que se vai localizar em Azevedo de Campanhã (ocupando uma parcela de terreno do Viveiro Municipal), será uma estrutura moderna e vai oferecer condições de excelência para a recolha de canídeos e felídeos.

No projeto para a nova infraestrutura está desenhada uma separação física e funcional entre serviços oficiais e de adoção, com melhorias significativas ao nível das condições sanitárias. Com um bloco cirúrgico, que possibilitará uma rápida e eficiente esterilização dos animais, o Centro de Recolha vai ser, ainda, dotado de um sala de enfermagem independente para o tratamento e o acompanhamento clínico dos animais alojados, zonas de exercício e de sociabilização, área de tosquia e higienização.

Para além destas novas áreas consignadas, o moderno espaço mais que duplicará a área para as boxes atualmente existentes no atual canil (de 94 boxes para 220). Em articulação com a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), está garantida, inclusive, a disponibilidade para o apoio ao alojamento de animais em quarentena provenientes de outros países e, sempre que necessário, o acolhimento de outras espécies.

A valorização da zona oriental da cidade pesou na decisão do local onde ficará o futuro equipamento. Na verdade, é em Campanhã que estão também assinaladas outras duas grandes obras estratégicas para a cidade: o Terminal Intermodal e o Matadouro Municipal.

Mas não foi razão única. Como explicou o vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo, responsável pelo Pelouro da Inovação e Ambiente, "o Viveiro Municipal ocupa um terreno com uma área muito grande e que tem dimensão suficiente para albergar o centro de recolha oficial com as valências desejadas, não tendo impacto naquilo que é a sua atividade, até porque terá um acesso dedicado".

Para além desta nova estrutura, cujo processo está a ser gerido pela empresa municipal de Gestão de Obras Públicas (GO Porto), a estratégia da autarquia de apoio aos animais tem conhecido, nos últimos anos, novas iniciativas. Em 2015 foi lançado o "Plano Municipal de Controlo e Bem-Estar das Populações Animais de Cães e Gatos" que visa resolver as carências estruturais do serviço do atual canil e dar reposta às obrigações legais em vigor, bem como à generalidade das reivindicações das associações zoófilas, a Ordem dos Médicos Veterinários e a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária.

Uma vez dado o sinal verde pelo Tribunal de Contas, as obras chegarão ao terreno no próximo trimestre.