Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Centenas de crianças formam um laço azul contra os maus-tratos na infância
27-04-2018
Cerca de 750 crianças das escolas básicas públicas do Porto concentraram-se, hoje ao final da manhã, em frente ao edifício da Câmara do Porto, onde formaram um grande laço azul em forma de logótipo humano.

A mensagem era apenas uma: sensibilizar e alertar a comunidade para a prevenção dos maus-tratos infantis, no âmbito do mês dedicado a esta temática - abril.
Fernanda Almeida, da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens, explicou que a iniciativa se multiplicou em muitos locais do país, exatamente à mesma hora, ao meio-dia, de modo a formar um "laço humano gigante".

"Há uma maior consciência daquilo que são no fundo as situações que põem em causa os direitos das crianças e essa maior consciência faz com que as pessoas sinalizem mais, o que é bom", referiu a responsável pelo encontro.

A iniciativa foi enquadrada no "Porto Cidade Amiga das Crianças", um programa do Município, articulado com a Unicef e várias instituições locais, e que traduzir-se-á "brevemente na atribuição do selo de Cidade Amiga das Crianças", explicou Fernando Paulo, vereador com o pelouro da Educação na Câmara do Porto.

"Compete-nos a todos nós despertar e sensibilizar a sociedade para a importância de comunidades mais protetoras das nossas crianças e jovens. Para além de satisfazermos aquelas que são as suas necessidades básicas, importa também criar uma cidade amiga das crianças, com boas práticas e espaços para o seu crescimento natural", explicou.



A Campanha do Laço Azul (Blue Ribbon) iniciou-se em 1989, na Virgínia, nos Estados Unidos da América. O movimento começou com uma avó, Bonnie Finney, que manifestou publicamente a sua revolta e desgosto pelo maus-tratos infligidos aos seus netos. A cor azul, associada às nódoas negras espalhadas pelos corpos das crianças, serve como uma lembrança constante para a luta pela proteção das crianças contra a violência.