Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Casa-Museu Marta Ortigão Sampaio reabriu hoje ao público após sete meses de obras de requalificação
28-07-2017
Ampliada e renovada, reabriu hoje ao público a Casa-Museu Marta Ortigão Sampaio. O equipamento integra o Museu da Cidade que, assim, tem mais um polo disponível. Até domingo, a entrada é gratuita.

A subida de uma enorme tela marcou hoje a reabertura da Casa-Museu Marta Ortigão Sampaio (CMMOS) e chama agora a atenção de quem passa pelo discreto edifício do arquiteto José Carlos Loureiro, na Rua de Nossa Senhora de Fátima 291. 
Para trás ficam sete meses de obras de requalificação integradas no Programa "Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos Património Natural e Cultural" - Norte 2020, que permitiram à CMMOS renovar alguns espaços museológicos e oferecer agora aos visitantes, não apenas um aspeto refrescado, mas sobretudo novos motivos de interesse para a visita, inclusive para quem já entrou no equipamento.

No âmbito das obras, foi ampliada e reformulada a zona da receção, o que corresponde a um esforço de remodelação de sua imagem. Foi também criado um novo espaço alusivo aos materiais de pintura e desenho de Aurélia de Sousa e de sua irmã Sofia de Sousa (tias de Marta Ortigão Sampaio), bem como à atividade de fotógrafa da pintora Aurélia de Sousa. Foi igualmente criado um novo espaço alusivo à Coleção de Armas, foi remodelada a sinalética dos espaços expositivos e reformadas as Salas de Joalharia que, além de nova pintura, tiveram alterada a iluminação a par do recondicionamento das vitrinas da exposição.

Por outro lado, a CMMOS apresenta uma nova montagem da Sala de Estar e Escritório, tendo sido igualmente reformulada a legendagem de todo o Museu com inclusão de textos, em Português e Inglês, bem como de folhas de sala em Português, Inglês, Francês e Espanhol. Foi, ainda, montado um novo elevador de acesso aos diversos pisos e remodelada a instalação sanitária para pessoas com mobilidade condicionada. A entrada é gratuita hoje, sábado e domingo.

Todos estes trabalhos que resultaram na "nova" CMMOS estão integrados no conjunto de obras de modernização e valorização nos museus municipais, várias delas a decorrer, no âmbito de um projeto da Câmara do Porto cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020 (NORTE 2020), através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Do conjunto, em que o primeiro a ser renovado foi a Casa-Museu Guerra Junqueiro, reaberta ao público em março, resultará o conjunto de oferta museológica "Museu da Cidade". Este representa um dos instrumentos municipais para promover uma permanente "cultura em expansão", seja pelo aprofundamento do potencial existente ou seja pela criação de novos polos de interesse, diversificando a oferta em termos de públicos e de áreas culturais. É o caso do Museu da História da Cidade que foi recentemente apresentado, no Parque da Pasteleira, e cujas obras estão em curso, e do Museu Romântico da Quinta da Macieirinha, ou ainda do Centro de Interpretação dos Caminhos do Romântico, a sediar na Casa Tait, e do Museu do Vinho do Porto que será transferido para os edifícios da Rua da Reboleira onde funcionou o Centro Regional de Artes Tradicionais.