Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Câmara lança plataforma de residências artísticas em vários espaços da cidade
26-07-2016

A Câmara do Porto apresentou hoje oficialmente a plataforma InResidencePorto, um "interface" de divulgação internacional de espaços e projetos de residência artística sediados na cidade e que juntará artistas nacionais e internacionais. Até ao momento há oito espaços da cidade na plataforma, estando previsto para 2017 o lançamento de bolsas no âmbito do programa de residências artísticas.


Organizada pela autarquia, Inresidenceporto tem como objetivo aproximar artistas nacionais e internacionais às oportunidades de criação na cidade, em múltiplas áreas artísticas (artes visuais, cinema/vídeo/animação, dança/teatro, literatura/crítica de arte, media digitais/instalação e música/som).


"Pretendemos criar condições para que os artistas, sejam nacionais ou internacionais, se ancorem no Porto e possam descobrir o que a cidade tem para oferecer no âmbito de programas de residência", disse o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, durante a conferência de imprensa de apresentação da plataforma, que decorreu no Maus Hábitos.


Os espaços existentes na plataforma são oito, mas podem vir a aumentar: Casa Oficina António Carneiro, De Liceiras 18, Mala Voadora, Maus Hábitos, Mira, Museu Nacional da Imprensa, Sonoscopia e o Teatro Municipal do Porto.


Para 2017 está previsto o lançamento de bolsas, que podem variar entre quatro, cinco ou seis mil euros, consoante a origem do artista seja nacional, europeia ou de fora da Europa. Nesses valores vão estar incluídas as despesas de deslocação, de estadia e de produção.


Rui Moreira deixou a garantia de que, caso os resultados sejam favoráveis há a possibilidade de reforçar o orçamento. "Se o projeto correr bem, terá um fator de maximização, dependendo muito da capacidade dos envolvidos de transformar isto num território mais fértil", sublinhou.