Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto estuda medidas para uma cidade sustentável e mais amiga do ambiente
27-06-2019
Aprofundar a estratégia de desenvolvimento de uma cidade mais sustentável do ponto de vista ambiental é o grande objetivo de um pacote de medidas que o Executivo Municipal do Porto analisa nesta sexta-feira, 28 de junho, em reunião de Câmara.

Subscritas pela vereadora dos Transportes, Fiscalização e Proteção Civil, Cristina Pimentel, as propostas visam, nomeadamente, facilitar a mobilidade aos automobilistas que optem por automóveis elétricos, bem como harmonizar com a vida quotidiana da cidade a utilização de bicicletas e trotinetas em regime de partilha e, ainda, fomentar o uso de meios coletivos de transporte menos poluentes, designadamente o Funicular dos Guindais e o Elevador da Lada.

Nesse sentido, a instalação de postos de carregamento de veículos elétricos em domínio municipal é uma das medidas a equacionar e definir, tendo em conta a previsão de crescimento do número de veículos elétricos em circulação, fruto das políticas de incentivo à redução de emissões de CO2 e às estratégias de sustentabilidade ambiental que o Município do Porto vem adotando. Recorde-se que a própria Câmara do Porto tem apostado nos últimos anos no setor da mobilidade elétrica, quer ao nível da aquisição de veículos elétricos para a sua frota quer ao nível da promoção de iniciativas neste âmbito, nomeadamente através da discriminação positiva nas políticas de estacionamento nos Parques Municipais. 

Por outro lado, caso seja aprovada a proposta de alterações no regulamento que orienta o aluguer e circulação de bicicletas e trotinetas - uma transporte igualmente em franco crescimento - o Porto tornar-se-á pioneiro na regulamentação dos chamados "serviços de partilha de modos de transporte suave na cidade".

Em causa estão questões como a simplificação da forma de identificação dos veículos e responsabilização dos operadores, a garantia de condições de concorrência entre eles, a limitação da circulação em túneis por questões de segurança, bem como o ordenamento do parqueamento e recolha dos veículos, promovendo uma melhor articulação com serviços de transporte público em período de transição de oferta diurna/noturna, além de garantir acesso à localização de todos os veículos em tempo real por parte do Município do Porto, mediante a obrigatoriedade de acesso via API (Interface de Programação de Aplicações) à plataforma de gestão do operador.

Ainda com os mesmos objetivos de promoção da sustentabilidade ambiental na cidade, o Executivo Municipal analisa nesta reunião uma proposta que visa integrar os serviços de operação e manutenção do Funicular dos Guindais e do Ascensor da Ribeira do Porto (conhecido como "Elevador da Lada").

Este investimento de cerca de dois milhões de euros permitiria, por um lado, conferir maior eficácia e efetiva complementaridade entre os dois (com ganhos de escala e de adequação às necessidades das populações locais); por outro lado, enquadrar o funicular e o elevador na lógica da rede de ligações mecanizadas que a autarquia tem em  desenvolvimento na zona de Miragaia, Palácio de Cristal e Virtudes, cuja primeira fase de construção e implementação se encontra já em curso. Tal opção permitiria também incorporar aqueles dois equipamentos no sistema integrado de ligações cota alta/cota baixa no Centro Histórico do Porto, potenciando desta forma a acessibilidade, a mobilidade e a fixação da população residente nestas zonas da cidade.