Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Estudo sobre transporte escolar
11-03-2015

O presidente da Câmara do Porto revelou ter pedido um estudo sobre o transporte escolar a uma entidade especializada para ordenar o estacionamento junto dos estabelecimentos de ensino públicos e privados.


"Pedimos à CEIIA [Centro para a Excelência e Inovação da Indústria Automóvel] um estudo relativamente ao transporte escolar, envolvendo também as escolas públicas", revelou o autarca, considerando que o estacionamento indevido junto aos estabelecimentos de ensino é "um problema para encarar de frente", disse na reunião pública do Executivo da passada terça-feira.


O autarca criticou ainda as pessoas que "acham que podem estacionar onde querem para levar as crianças à escola", admitindo que, por vezes, isso acontece porque as escolas não estão preparadas, nomeadamente com parques de estacionamento, para receber os automóveis dos pais dos seus alunos.


"Temos de encontrar alternativas. Seja através do transporte escolar, seja através da disponibilização de um funcionário que vá buscar as crianças ao carro para que os pais não tenham de estacionar indevidamente", observou.


Moreira referia-se a zonas onde estão concentrados vários estabelecimentos escolares privados, nomeadamente na Foz e na Boavista, na rua Guerra Junqueiro, e lembrou que há colégios que "fizeram grandes investimentos para resolver este problema".


Já a 20 de maio de 2014 o autarca tinha reconhecido a necessidade de a autarquia "encontrar uma solução de transporte público para resolver o problema" causado pelo estacionamento caótico e perigoso junto a muitas escolas da cidade.


"É um problema que temos de avaliar com muito cuidado", vincou, alertando que o transporte público escolar não está previsto para cidades como Lisboa e o Porto.


Na mesma reunião, a Câmara do Porto aprovou por unanimidade a abertura da revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) da cidade, que decorrerá por um período de 16 meses e incluirá 15 dias de debate público. Trata-se da segunda revisão do PDM do Porto, depois da ocorrida em 2005/06.