Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Mais condições na passagem de ano
23-12-2015

A festa de passagem de ano no Porto vai ter este ano condições de conforto, som, imagem e organização reforçadas. Além das medidas que habitualmente são tomadas em grandes eventos no Porto, a Câmara do Porto decidiu este ano melhorar as condições logísticas que acolherão mais de 100 mil pessoas na Avenida dos Aliados. Entre as melhorias está a instalação de casas de banho públicas, maior capacidade dos sistemas de som e imagem e pontos de atendimento de emergência médica, além de maior policiamento e a supressão de esplanadas e outros obstáculos.


A noite será monitorizada em permanência pelas forças de segurança e proteção civil excecionais e pelo controlo de tráfego, pela primeira vez numa passagem de ano, a partir do novo Centro de Gestão Integrada criado pela autarquia e que utiliza mais de 130 câmaras de filmar na cidade. A última passagem de ano, que contou com fogo-de-artifício e dois concertos dos Clã e dos Expensive Soul, registou números anormais de afluência de público estimado em cerca de 140 mil pessoas, o que levou a Câmara a reforçar este ano alguns aspetos da organização.


Recorde-se que Rui Moreira anunciou em 2014 a aposta da cidade na passagem de ano como mais uma data referencial em matéria de turismo interno quer externo, objetivo plenamente alcançado, já que, pelo segundo ano consecutivo, o Porto é referido pelos principais motores de busca hoteleiros como o destino mais procurado nesta data, em Portugal.


Para este ano está marcado um espetáculo que promete tornar-se memorável de Pedro Abrunhosa e os Comité Caviar, que tocarão durante três horas (a partir das 23 horas) na principal praça e avenida da cidade. Trata-se do primeiro espetáculo da carreira do músico portuense nos Aliados.


A festa começa, contudo, mais cedo, cerca das 22 horas, com um DJ Set e prolonga-se muito para lá das 2 horas da manhã do dia 1 de janeiro, de novo com música de DJ's, no sentido de diluir os fluxos de pessoas. O Metro do Porto funcionará as 24 horas, na sua máxima capacidade e as estações terão, também, reforço de segurança.


A organização apela ao público para que se desloque atempadamente à avenida dos Aliados, que use transporte público e que não procure entrar na "maior plateia do país" a partir da zona do palco. "Na zona junto ao palco haverá uma pressão maior e existe uma parafernália de equipamentos e carros de exteriores, relacionados com as transmissões televisivas que não facilitam o acesso, sobretudo para quem acede a partir da Estação de São Bento", aconselha a Porto Lazer, empresa municipal encarregue da organização.


Refira-se que, a zona junto à Câmara do Porto será condicionada a partir das 23 horas, devido ao fogo-de-artifício, pelo que a melhor forma de entrar na avenida será sempre a partir das ruas laterais.


Novidade é a instalação de casas de banho públicas num evento deste género, que ficarão localizadas na parte superior da avenida dos Aliados, junto à Caixa Geral de Depósitos, mais perto do palco, e na Praça D. João I, onde pela noite dentro, e após o espetáculo de Abrunhosa, haverá um DJ set. Novidade é também a existência de dois pontos de socorro pré-hospitalar, com duas ambulâncias e quatro brigadas de primeiros socorros apeadas, capazes de intervir rapidamente em qualquer ponto dos Aliados.


O estado do tempo é outro dos fatores que pode influenciar a forma como irá decorrer a passagem de ano. Apesar de ainda não serem totalmente fiáveis, as previsões apontam para tempo instável no dia 31, com tendência a melhorar para a noite, o que faz prever uma passagem de ano tendencialmente seca. Contudo, mesmo que chova, a organização espera que os Aliados possam encher e que, durante as mais de três horas de espetáculo, mais de 100 mil pessoas procurem assistir ao espetáculo de Pedro Abrunhosa, dos DJ's e do fogo de artifício, à meia-noite, que terá a duração aproximada de 15 minutos.