Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Câmara começa a preparar mercado temporário para acolher comerciantes do Bolhão durante as obras
31-03-2017

O concurso para criação de um mercado temporário para acolher os comerciantes do Mercado do Bolhão enquanto este estiver a ser reabilitado foi hoje lançado. O espaço situa-se a poucos metros do mercado, no Centro Comercial La Vie e vai ser totalmente requalificado com bancas de mercado novas e modernas para receber os comerciantes. 


O anúncio do lançamento da empreitada foi publicado pela Empresa Municipal de Obras Públicas da Câmara do Porto no Diário da República e fixa como critério de adjudicação o "mais baixo preço", tendo como base 920 mil euros.


De acordo com a publicação oficial, a obra, a realizar deve ficar concluída no prazo de 60 dias.


Os candidatos à empreitada têm 20 dias para apresentar as propostas para transformar a loja do centro comercial no mercado temporário do Bolhão.


O concurso público internacional para requalificar o mercado, por um valor máximo de 25 milhões de euros, foi lançado a 19 de dezembro através da publicação em Diário da República e no Jornal Oficial da União Europeia e prevê-se que as obras se iniciem no próximo verão.


Praticamente três quartos dos atuais comerciantes do Bolhão manifestou a intenção de continuar a sua atividade no mercado. 


Concluído em fereveiro o processo que permitiu identificar todas as licenças de ocupação de espaços no mercado, 68 comerciantes e oito carrejões manifestaram vontade de continuar, enquanto apenas 23 preferiram desistir da atividade.

Dos 68 que vão continuar no novo Bolhão, 12 optaram por mudar de atividade e 15 vão transferir gratuitamente a titularidade da licença para um familiar. Estas alterações beneficiarão de uma isenção total de pagamento. Esta isenção cifra-se num valor total de 31.557 euros.

O processo de negociação encetado pela Câmara do Porto teve por objetivo criar todas as condições para que a generalidade dos comerciantes mantivesse a sua atividade durante o período de realização das obras e no regresso ao novo mercado, já reabilitado.