Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Biblioteca Municipal palco de homenagem ao editor Fernando Ribeiro de Mello
29-10-2018

A Câmara do Porto prestou um duplo tributo a Fernando Ribeiro de Mello, neste sábado. Na Biblioteca Pública Municipal do Porto (BPMP), a sessão do ciclo Um Objeto e seus Discursos por Semana foi-lhe dedicada e, após a conversa que versou a vida e obra de um dos principais editores da resistência antifascista, foi inaugurada a exposição "Editor de Vanguardas: Fernando Ribeiro de Mello e a Afrodite", aberta ao público até 31 de janeiro de 2019.


Fernando Ribeiro de Mello (1941-1992), apelidado de "maldito" pelo regime do Estado Novo, que o perseguiu, será sempre lembrado pela audácia das cuidadíssimas publicações da Afrodite. Na sessão do ciclo municipal Um Objeto e seus Discursos por Semana, o curador Pedro Piedade Marques e o ilustrador Nuno Amorim, sob moderação de Guilherme Blanc, adjunto do presidente da Câmara do Porto para a Cultura, não deixaram de recordar a história dos volumes censurados - e que, ainda assim, circulavam - nos quais Ribeiro de Mello viria a insistir nos "Verões quentes" do PREC: uma reedição (depois da primeira tradução ter sido renegada) com tradução de Manuel João Gomes e novas ilustrações de Martim Avillez, além de um curioso posfácio que reproduz os documentos oficiais do "processo Sade" de 1966-67 e transcrições dos depoimentos das testemunhas.


Após a sessão, o segundo ato da homenagem a Fernando Ribeiro de Mello ficou marcado pela inauguração da exposição dedicada ao "Editor de Vanguardas: Fernando Ribeiro de Mello e a Afrodite". Além da bibliografia da editora e de exemplos dos ecos que ela teve na imprensa (em particular no Diário de Lisboa), a mostra inclui um grupo de edições de "contexto", livros que, sobretudo no arranque do projeto, estariam no radar do editor como modelos ou referências (exemplos das edições da Contraponto de Luiz Pacheco, da Minotauro ou da Ulisseia na fase em que Vitor Silva Tavares a dirigiu).


A exposição agrega ainda uma das aguadas de Cruzeiro Seixas para a "Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica" (1965) e um dos brilhantes desenhos do esquecido Henrique Manuel para a "Nova Recolha de Provérbios Portugueses e Outros Lugares-Comuns" (1974), bem como uma peça rara ligada a um dos mais bem-sucedidos projetos da Afrodite, a coleção de livros para crianças "Cabra Cega".


"Editor de Vanguardas: Fernando Ribeiro de Mello e a Afrodite" fica aberta ao público na BPMP (ao Jardim de São Lázaro) até 31 de janeiro, com entrada livre, de segunda-feira a sábado das 10 às 18 horas.