Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Área Metropolitana defende fim das portagens na CREP
28-04-2017

O fim das portagens na Circular Regional Exterior do Porto (CREP), que vem sendo reclamado por Rui Moreira, é uma das propostas a incluir no Plano de Mobilidade e Transportes para a região Norte, ontem apresentado pelo presidente do Conselho Metropolitano do Porto, Emídio Sousa, na Ordem dos Engenheiros Região Norte.


No início de março, o presidente da Câmara do Porto tinha voltado a por a questão na ordem do dia, num artigo publicado num jornal diário, mas já em 2013, durante a campanha eleitoral tinha reclamado do Estado a resolução do problema.


Fazer avançar a região Norte e criar fluidez no trânsito na Área Metropolitana do Porto (AMP) são dois motivos por que a concretização deste Plano de Mobilidade e Transportes é "urgente", mais ainda atendendo à falta de concertação, nos últimos anos, dos investimentos nesta área. "Constroem-se linhas de metro, mas não há parques ao lado para estacionar os carros. Aumenta-se o número de faixas de rodagem na A1 e portaja-se a CREP, mas continua-se com a VCI sempre entupida" - realçou o responsável do Conselho Metropolitano. "Fazem-se investimentos atrás de investimentos, mas continuamos sempre engarrafados", concluiu.


A construção de uma nova travessia no rio Douro que permita o melhor escoamento do trânsito na A1, motivo de filas nas pontes de Arrábida e Freixo, e a criação de parques automóveis junto às estações do Metro são, por isso, outras propostas a incorporar no Plano preconizado pelos 17 municípios que constituem a AMP.


Sobre as portagens na CREP, Emídio Sousa sublinhou que a medida não descongestionou de modo algum a Via de Cintura Interna (VCI). Se a CREP "foi construída para retirar trânsito da cidade e da VCI, então não poderá ter portagens", salientou o também presidente da Câmara de Santa Maria da Feira, indo ao encontro da posição reiterada pelo seu congénere na Câmara do Porto.