Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Antigo hospital Joaquim Urbano reaberto pela Câmara do Porto para acolher os sem-abrigo
17-01-2017

A Câmara do Porto está preparada para, a partir de hoje e até ao dia 22, dar um acompanhamento suplementar às pessoas em situação de sem-abrigo, disponibilizando transporte para as antigas instalações do Hospital Joaquim Urbano, que abrirá excecionalmente nestes dias para acolher as pessoas que o desejarem. Aos que não aceitarem serão distribuídos cobertores e bebidas quentes.


O espaço estará disponível das 20 às 09,00 horas e disponibilizará camas individuais para pessoas do sexo feminino e masculino, acesso a casas de banho, oferta de um kit de higiene e pequeno almoço.


Além da utilização do transporte disponibilizado pela autarquia, qualquer pessoa poderá dirigir-se diretamente a este espaço, sendo acolhida de imediato.


Foi ainda articulado entre o Município e a Metro do Porto o não encerramento noturno da estação de metro do Bolhão, mantendo-se aberta excecionalmente 24 horas/dia no período de 18 a 23 de janeiro para acolher as pessoas que ali desejarem permanecer.


O Hospital Joaquim Urbano, encerrado como unidade de saúde em 2016, vai ser aproveitado pela Câmara do Porto para ser um apoio de primeira linha aos sem-abrigo de uma forma mais definitiva, servindo como primeira assistência e triagem para uma futura solução mais duradoura. O plano foi anunciado no verão passado pelo vereador Manuel Pizarro.


De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, prevê-se uma descida acentuada das temperaturas a partir da madrugada de quarta-feira, dia 18 de janeiro, com valores da mínima a variar entre 1ºC e 2ºC. Esta situação de frio intenso deverá prolongar-se até a madrugada do dia 23 de janeiro.


As temperaturas baixas, conjugadas com outros fatores, como o vento e a humidade relativa do ar, poderão provocar um aumento do desconforto térmico nas populações, exigindo cuidados acrescidos, em especial para os grupos mais vulneráveis, nomeadamente as crianças, os idosos e os sem-abrigo.


A Proteção Civil Municipal recomenda, assim, à população que tome as devidas precauções, nomeadamente:


·    Use várias camadas de roupa em vez de uma única peça de tecido grosso. Evite as roupas muito justas ou as que façam transpirar;

·    O ar frio não é bom para a circulação sanguínea. Evite as atividades físicas intensas que obrigam o coração a um maior esforço;
·    Se suspeitar que alguém está com sinais de hipotermia (corpo frio com tremuras e falta de reação) ligue imediatamente para o 112;
·    O consumo excessivo de eletricidade pode sobrecarregar a rede originando falhas locais de energia. 
·    Procure poupar energia, desligando os aparelhos elétricos que não sejam necessários. Tenha à mão lanterna e pilhas, para o caso de faltar a luz;
·    Não se esqueça que a ventilação é muito importante quando se utilizam lareiras ou braseiras;
·    Desligue todos os aparelhos de aquecimento sempre que se ausentar da sua habitação.