Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Álvaro Santos aponta possíveis caminhos para o futuro dos centros urbanos
26-09-2018

Cidades com o Porto e Lisboa atravessam atualmente um bom momento espelhado pela reabilitação urbana que "traz, trouxe e vai continuar a trazer aspetos muito positivos", disse Álvaro Santos na apresentação do seu livro "Reabilitação urbana e a sustentabilidade das cidades", ao final do dia de ontem, na Câmara do Porto.


O antigo presidente da Porto Vivo - Sociedade de Reabilitação Urbana do Porto focou mesmo a questão da pressão demográfica nestas cidades, mas afirmou que "não há turismo a mais; há é pessoas a menos". Admitindo que "há aspetos a corrigir", Álvaro Santos sublinhou que o excesso de turismo é aparente e apontou que "Lisboa e Porto estão a receber mais pessoas, depois de uma grande sangria de dezenas de milhares de pessoas ao longo de várias décadas", concluindo que "vivemos hoje uma oportunidade única que tem de ser mais regulada".


Álvaro Santos, que desempenhou já funções governamentais, autárquicas, académicas e empresariais, publicou agora o livro sobre "Reabilitação urbana e a sustentabilidade das cidades" onde analisa e discute os efeitos da integração de medidas de eficiência energética nos processos de reabilitação urbana e, consequentemente, avalia o seu contributo para a sustentabilidade das cidades, em sentido mais lato.


Editado pela Vida Económica e com prefácio do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, o livro aborda a evolução das políticas urbanas na União Europeia e em Portugal, a reabilitação urbana enquanto novo paradigma das políticas urbanas, a sustentabilidade ambiental e energética na reabilitação urbana e a eficiência energética nos edifícios de habitação em Portugal. Foca ainda a reabilitação urbana da cidade do Porto, a sustentabilidade ambiental e eficiência energética nas operações de reabilitação urbana do Porto, eficiência energética nos edifícios de habitação no Centro Histórico do Porto e a perceção dos agentes sobre a integração de objetivos de eficiência energética na reabilitação urbana.