Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"Ode Marítima" inaugura Cultura em Expansão 2017
22-03-2017
O poema "Ode Marítima" de Álvaro de Campos constitui o pano de fundo para o recital que o ator Diogo Infante protagoniza, com o músico João Gil, na inauguração do programa "Cultura em Expansão" deste ano. O evento está marcado para as 21,30 horas do próximo sábado, dia 25, no Bairro da Pasteleira, e tem entrada livre.

Um dos mais significativos poemas do heterónimo de Fernando Pessoa - em que um paquete "pequeno, negro e claro", entrando no cais, serve de ponto de partida para reflexões filosóficas enquadradas pelo Portugal do início do século XX - irrompe pela associação de moradores daquele bairro e marca, desde logo, a ligação à água que será uma presença regular ao longo dos próximos meses em vários projetos municipais nas áreas das artes visuais e do pensamento.

Em "Ode Marítima", um homem observa um porto marítimo e assume o comando de um paquete que não chegou a entrar no cais. Inicia, então, uma viagem dentro de si mesmo, perpetrando todos os comportamentos humanos e procurando "sentir tudo de todas as maneiras". O imaginário marítimo tão lusitano e a metáfora do fluxo/refluxo do mar sustentam a contradição violenta de um homem que tenta relacionar diferentes sensações de identidade, transformando-se ele no cais e no destino, revelando a sua pluralidade de sentidos e tornando corpórea a viagem.

Com esta apresentação, Diogo Infante e João Gil abrem também o projeto "Arena", uma nova área da programação "Cultura em Expansão" que agora começa e estará centrada em monólogos singulares da criação teatral portuguesa mais ou menos recente, os quais serão apresentados num dispositivo cénico configurado pelo próprio público e em forma de arena.

Ao longo dos próximos meses, o "Arena" levará à Associação de Moradores do Bairro Social da Pasteleira - Previdência/Torres vários outros momentos de referência na arte dramática, num dos quatro pilares (a par do cinema, da música e dos laboratórios) do "Cultura em Expansão" que vai já na quarta edição.

Constituindo já a evidência do conceito de "cidade líquida", o "Cultura em Expansão" pretende que a noção de espaços de Cultura perca sentido e se dilua com o tempo, afirmando a ideia de que não existem lugares definidos para a sua oferta e que a cidade, em toda a sua variedade e extensão, deve ser um palco ativo.

Por isso, até dezembro, nomes incontornáveis da cultura portuguesa, como Sérgio Godinho, Simone de Oliveira, Edgar Pêra, Leonor Keil, João Salaviza, Diogo Evangelista e vários outros, vão cruzar-se com jovens artistas e criadores, partilhando experiência e visões da prática artística, mas também protagonizando eventos e expandindo cada vez mais a cultura do e no Porto. Sempre com entrada gratuita, mas limitada à capacidade do auditório.