Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Aliados acordam limpos na primeira manhã do ano e nem parece que houve festa
01-01-2020
Equipas municipais de limpeza trabalharam durante a noite e a zona circundante da Avenida dos Aliados acordou hoje limpa, parecendo que nem houve uma festa de Passagem de Ano. Que, por sinal, foi grande e prolongada, atingindo um dos pontos altos com o concerto de Miguel Araújo que deu as boas-vindas a 2020.

Ainda o cheiro do fogo de artifício não se dissipara e ecoavam os últimos dos 18.965 disparos pirotécnicos, mas já os técnicos municipais recolhiam os papéis, confetis, invólucros dos foguetes e garrafas vazias na Praça do General Humberto Delgado.

Com efeito, passavam somente alguns minutos da meia-noite deste 1 de janeiro e a Operação Ano Novo continuava em pleno, nomeadamente a vertente da limpeza urbana, que foi reforçada durante a noite e madrugada. Com cerca de oito dezenas de pessoas mobilizadas, esse reforço passou também pelo aumento da frequência de varredura e lavagem, de modo a que o centro da cidade acordasse como se vê nas fotos, higienizado e pronto para começar o ano.

E hoje é retomado com impulso acrescido o serviço de recolha de resíduos que, tal como no Natal, foi igualmente reforçado para este período da celebração da chegada de 2020.

Serviço de proteção e socorro

Refira-se que, além da limpeza urbana, a Operação Passagem de Ano - monitorizada a partir do Centro de Gestão Integrada (CGI) da Câmara do Porto - incluiu também vertentes de segurança (PSP e Polícia Municipal, agentes fardados e à civil) e mobilidade (condicionamento do trânsito automóvel na zona central da cidade entre as 21h e as 5h, reforço de veículos e horários da STCP e do Metro, sistema Andante e tarifas especiais em parques de estacionamento periféricos).

Paralelamente, estava montado um Dispositivo de Proteção e Socorro, o qual registou durante a noite de celebração um total de 78 ocorrências.

Dessas, 33 foram evacuações para hospital, sendo as vítimas de nacionalidade portuguesa, angolana, brasileira, espanhola, guineense, iraniana, italiana e britânica.

Os meios foram desmobilizados às 6,30 horas.