Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Acabam condicionamentos na Rotunda da Boavista por causa da poda de árvores
25-01-2019

Melhorar as condições de desenvolvimento das árvores e prevenir condições de segurança para pessoas e bens foram as prioridades da intervenção sobre o conjunto arbóreo da Praça de Mouzinho de Albuquerque (Rotunda da Boavista), iniciada há duas semanas pela Câmara do Porto.


Decidida a partir do processo de monitorização e manutenção do arvoredo municipal, a operação incluiu intervenções de alto risco e inevitáveis, as quais, por questões de segurança, obrigaram a um forte condicionamento de trânsito e da passagem pedonal junto a cada uma das árvores a intervir.


Apesar desses constrangimentos, e tendo em conta que a precipitação dos últimos dias não foi tanta como era esperado, os trabalhos avançaram rapidamente e foi possível terminar mais cedo os da zona periférica, pelo que acabam hoje os condicionamentos e os trabalhos prosseguem apenas na zona interior da praça.


A manutenção do arvoredo terá continuidade até à primeira semana de fevereiro, sem qualquer impacto sobre o trânsito viário e mantendo somente os condicionamentos de circulação pedonal junto a cada uma das áreas interiores que vai sendo intervencionada.


Esta operação sobre o conjunto arbóreo da "Rotunda" foi decidida na sequência de avaliações técnicas efetuadas recentemente, que permitiram constatar a necessidade de atuação criteriosa em todos os exemplares.


Por isso, os trabalhos incidiram sobre 207 árvores, quase todas elas em termos de poda de manutenção/segurança. Somente três exemplares apresentavam condições de elevada fragilidade e consequente risco de queda, pelo que se tornou inevitável o seu abate. Tratava-se de um carvalho americano e dois liquidâmbares em que os serviços municipais constataram uma "muito fraca condição biomecânica, consequente de fortes processos de decomposição da madeira", o que era aliás já bem visível por extensas e ativas cavidades ao nível do alto tronco, da copa, do colo e do sistema radicular.


Daí que a intervenção ora concretizada tenha vindo minimizar os riscos eventuais de perigo para pessoas e bens.


Quanto às restantes 204 árvores, a intervenção vem potenciar as suas qualidade e segurança, nomeadamente ao incrementar as condições de desenvolvimento que possibilitem o equilíbrio ambiental e paisagístico daquele jardim, em linha com a estratégia seguida pela autarquia em toda a cidade.