Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

À procura da arquitetura esquecida no Open House
19-06-2016

A segunda edição do Open House Porto começou ontem nos municípios do Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia. A iniciativa, organizada pela Casa da Arquitectura e pela Trienal de Lisboa, é este ano dedicada a Paulo Cunha e Silva e prossegue hoje. Abertos a visitas estão 51 edifícios nas três cidades que constituem a Frente Atlântica do Porto, mais nove do que em 2015.


O roteiro foi definido pelo comissário do evento, Jorge Figueira, e pelo comissário-adjunto, Carlos Machado e Moura, e assume-se como uma grande festa da arquitetura e um dos momentos mais significativos da vida cultural do Grande Porto, contando com a parceria estratégica da Câmara do Porto e a colaboração das câmaras de Gaia e de Matosinhos.


Entre os edifícios que têm estado a ser visitados há lugares privados de instituições reconhecidas, uma viagem por arquiteturas esquecidas e a revisitação da casa burguesa do princípio do século XX e da habitação de cariz social surgida após a revolução de 25 de Abril de 1974.


Nesta segunda edição a organização aumentou o número de visitas comentadas, contando com o envolvimento de 62 especialistas entre os quais os autores dos projetos de arquitetura. Para facilitar a fluidez das entradas, a grande maioria dos espaços não requer reserva prévia, nem antecipada. A entrada é feita por ordem de chegada, permitindo dar acesso a um maior número de pessoas possíveis, o que reforça o caráter inclusivo do evento.


Veja as fotos do primeiro dia  em www.porto.pt e CONHEÇA AQUI o programa completo.