Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

500 anos de história no Museu
16-07-2015

O Porto tem um novo museu designado por MMIPO. O equipamento da Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP), localizado na Rua das Flores, reúne em pinturas, esculturas, ourivesaria e documentos a história de meio século daquela instituição, que é também história da cidade. Aberto ao futuro, integra na sua fachada uma escultura contemporânea de Rui Chafes, do programa de arte pública da Câmara do Porto.


Em pleno coração do Centro Histórico, reúne um património desde 1499, muito dele adquirido por herança e doações. Os painéis de Diogo Teixeira, a "Descida da Cruz" de Fernão Gomes e o quadro "Fons Vitae", atribuída ao flamengo Colijn de Coter, são algumas das peças que podem ser vistas.


Nos três pisos do museu, o visitante viaja por cinco séculos, espalhados por várias salas dedicadas à história e atividades da SCMP e aos seus benfeitores.


Na fachada do edifício pode ser vista uma escultura de Rui Chafes, uma obra de arte contemporânea inaugurada também na sessão de ontem e inserida no programa de Arte Pública lançado pela autarquia portuense. A peça de nome "O Meu Sangue é o Vosso Sangue" é inspirada na pintura flamenga do século XVI Fons Vitae, parte do interior do novo museu e projeta-se para o espaço público na Rua das Flores. O Programa de Arte Pública (oficialmente lançado a 25 de fevereiro 2015 com a inauguração do painel de Fernando Lanhas no topo nascente do túnel da Ribeira) é desenvolvido em parceria com diversas entidades públicas e privadas que apoiam a produção e instalação de obras e cujo envolvimento é assinalado publicamente em placas de inauguração, colocadas junto às respetivas obras.


O MMIPO está integrado na rede portuguesa de museus e foi inaugurado ontem numa sessão presidida pelo Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, que contou com a presença de Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto e do provedor da Santa Casa, António Tavares. A entrada custa cinco euros por visitante ou quatro euros por pessoa, no caso de famílias com pelo menos quatro elementos.


Leia também: Programa de Arte Pública no Porto