Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"A arquitetura é um serviço à humanidade", revela Francis Kéré ao Porto.
24-11-2019
Francis Kéré, arquiteto premiado do Burkina Faso, veio ao Porto e concede uma entrevista ao "Porto.", atualizando a sua visão sobre a arquitetura, na sequência da conferência sobre os seus projetos e a sua abordagem na arquitetura, que veio dar no âmbito da feira Concreta, que está a decorrer na Exponor.

Na que é já a segunda entrevista do aclamado arquiteto ao portal de notícias do Porto, depois da realizada durante o Fórum do Futuro, em 2017, Kéré confessa: "Olho para a minha escola em Gando e penso: Uau! Que grande privilégio eu tive de poder, com o meu povo, criar uma estrutura que permite que as crianças permaneçam na escola, que é bem ventilada e onde podem ficar o dia todo e aprender. É inspirador!".

Foi assim que Francis Kéré descreveu o seu entendimento sobre a sua prática da arquitetura, que se estende por duas décadas, numa entrevista ao "Porto." pouco antes se apresentar como orador principal, na feira Concreta, na Exponor, para falar sobre os seus principais trabalhos e projetos. O certame apresenta também a exposição "Kéré Architecture", organizada pela revista de arquitetura  AMAG, que pode ser visitada até final do dia de hoje ( entrada tem o custo de 3 euros).

O arquiteto, reconhecido internacionalmente pela abordagem inovadora no campo da arquitetura, recebeu elogios da crítica antes mesmo de se formar na Universidade Técnica de Berlim, em 2004, tendo recebido o prestigiado Prémio Aga Khan de Arquitetura naquele mesmo ano, pelo design do seu primeiro edifício - a Escola Primária de Gando.

Para realizar este projeto, Kéré reuniu os fundos necessários e concretizou-o juntamente com os moradores da sua terra natal, em Gando, no Burkina Faso. A escola primária foi construída com tijolos de barro, o que deixou a comunidade cética sobre o projeto, "pois tudo era construído em cimento", explicou Francis.

De facto, para se compreender verdadeiramente a importância da arquitetura de Francis Kéré, é necessário conhecer os seus primeiros anos de vida: foi a primeira criança da aldeia a frequentar uma escola, no seu tempo, pois o seu pai, o Chefe da Aldeia, queria que o seu filho mais velho aprendesse a ler e a traduzir as suas cartas. Não havia escolas em Gando; então, Kéré teve de mudar-se para a cidade e morar com o seu tio, aos sete anos de idade.

Depois de concluir os estudos, o jovem Francis começou a trabalhar como carpinteiro; mais tarde, recebeu uma bolsa da Sociedade Carl Duisberg para fazer uma formação como supervisor na Ajuda ao Desenvolvimento, na Alemanha. Uma vez neste país, teve a oportunidade de estudar arquitetura na Universidade Técnica de Berlim. O que se segue, o mundo inteiro já conhece.

"Construí aquela escola (Escola Primária de Gando) em 2000 e continua igual: sem manutenção, muito boa, toda a gente a aprecia e agora essa estrutura, esse tipo de edifício, está presente em todo o território nacional", explica Francis Kéré, acrescentando que "a nossa filosofia é a de fornecer mais com menos, promovendo a inovação e o desenvolvimento na nossa prática da arquitetura, recorrendo a materiais locais, ao conhecimento local e a tecnologias locais para criar soluções de design holísticas e sustentáveis".

Kéré é conhecido mundialmente pela sua abordagem sustentável da arquitetura e pelo seu trabalho pioneiro, que inclui o uso de materiais ecológicos e os modos viáveis de construção. O seu escritório - Kéré Architecture - com sede em Berlim, realiza projetos em quatro continentes.

"Eu tenho o meu escritório em Berlim; Berlim é uma espécie de começo, fui para a escola em Berlim, estudei lá, mas sou professor em Munique. Vou frequentemente ao Burkina Faso porque há muitas obras em andamento e necessito de estar presente para garantir a qualidade da construção e incentivar os trabalhos".

Quando lhe perguntamos se acredita que está a mudar a paisagem do seu país, Kéré responde: "não sei. Eu acho que tenho a oportunidade de criar escolas, hospitais e algumas habitações e as pessoas gostam delas, estão a ser inspiradas por elas".

Francis Kéré foi um dos oradores do Fórum do Futuro 2017, no Porto, a convite da Câmara do Porto, tendo também então concedido uma entrevista ao "Porto.". Sobre essa experiência na cidade, recorda que "foi uma ótima apresentação a esta grande cidade que eu realmente amo e admiro muito. Admiro o trabalho de Siza [Vieira] e Eduardo [Souto de Moura], conheço-os, conheço o Porto e este magnífico país".

Entre os seus trabalhos mais destacados, estão a Burkina Faso National Assembly, o Lycée Schorge Secondary School, a Léo Surgical Clinic & Health Centre, o 2017 Serpentine Pavilion and Xylem e o recentemente inaugurado pavilhão da Tippet Rise Art Center.