Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

1.ª pegada de carbono positiva foi conseguida no Porto com o Sea Life
30-09-2019
O Porto volta a destacar-se na vanguarda da sustentabilidade ambiental: o Sea Life da cidade anunciou hoje ter atingido a meta da pegada de carbono positiva, o que significa que está a retirar mais carbono da atmosfera do que aquele que liberta.

O aquário portuense afirma ter antecipado em 30 anos os objetivos do Acordo de Paris ao tornar a sua pegada de carbono positiva, sendo o primeiro espaço a fazê-lo em Portugal, mas também o primeiro do grupo Merlin Entertainment a nível mundial.

"Há vários anos que o Sea Life Porto tem uma preocupação crescente com os oceanos e o Planeta", recorda o aquário, considerando fundamental estar "na vanguarda da luta contra a crise climática" e sublinhando ter atingido aquela meta no ano em que está a celebrar o seu 10.º aniversário. "Este é o contributo máximo que podemos dar ao Planeta e esperamos que sirva de exemplo para quem nos rodeia", afirma Rui Ferreira, diretor geral do espaço, para quem "o facto de não termos ficado pela neutralidade carbónica mostra que o nosso compromisso com o Planeta e oceanos é total".

Ir mais além do que o Acordo de Paris prevê e tentar que outros sigam o mesmo caminho são objetivos do Sea Life Porto que, para levar a cabo este projeto, comprou energia verde, tornando todo o seu consumo sustentável durante o ano de 2019.

Simultaneamente, o aquário portuense cobriu com painéis solares o telhado do edifício, localizado junto ao Castelo do Queijo, e desenvolveu um plano de redução de consumos que passou pela instalação de variadores de frequência energética e troca de lâmpadas de halogéneo por tecnologia LED, num esforço para reduzir a pegada de carbono.

O último passo para compensar as restantes emissões foi a aquisição de certificados de carbono, através de um programa global das Nações Unidas e do patrocínio à produção de energia renovável.

De acordo com os dados revelados, a pegada de carbono do Sea Life Porto situa-se nas 1.108 toneladas anuais, tendo o espaço compensado 105% em linha com a norma internacional ISO 14021:2016. A compensação da pegada de carbono foi calculada incluindo todas as emissões resultantes da atividade diária do aquário, desde a energia e combustíveis consumidos até às deslocações de todos os seus visitantes e funcionários ao longo do ano.

Além da estreia desta nova condição em Portugal, é também de salientar que o espaço do Porto foi o primeiro a conseguir a referida meta entre as mais de 130 atrações que a Merlin Entertainment detém em 25 países da Europa, Ásia, América do Norte e Oceânia.

Com 5 000 metros quadrados de área, o Sea Life é um espaço de cultura, entretenimento e aprendizagem. Além de proporcionar uma experiência de descoberta do mundo marinho, promove a conservação das espécies pela via da consciencialização social e da educação. Os pinguins, o peixe-palhaço, o peixe-dragão, o tubarão-de-pontas-negras e os cavalos-marinhos são algumas das centenas de espécies marinhas e de água doce que, atualmente, habitam os 32 aquários instalados, além do túnel subaquático, o primeiro de Portugal e que atravessa mais de 500.000 litros de água.

Aproveite para conhecer os mais recentes habitantes do Sea Life Porto: