A "Era do Preto em Branco" em exposição no Centro Português de Fotografia
O Centro Português de Fotografia, em parceria com a RTP, inaugura esta sexta-feira, 31 de março, pelas 21,30 horas, a exposição "Fotografia de Cena na Era do Preto e Branco". A mostra vai estar patente ao público, no edifício da antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto, até dia 2 de julho. A entrada é livre.
A "Era do Preto em Branco" em exposição no Centro Português de Fotografia
O Centro Português de Fotografia, em parceria com a RTP, inaugura esta sexta-feira, 31 de março, pelas 21,30 horas, a exposição "Fotografia de Cena na Era do Preto e Branco". A mostra vai estar patente ao público, no edifício da antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto, até dia 2 de julho. A entrada é livre.

A "fotografia de cena" foi uma prática constante na RTP ao longo de mais de 30 anos. Consistia no registo fotográfico exaustivo - primeiro em negativos 6x6, depois já em 35mm - de todos os programas que eram gravados em estúdio, capturando para fins documentais e de promoção, os seus momentos mais relevantes e também os seus protagonistas.


No acervo da RTP contabilizam-se hoje perto duma centena de milhar de "fotografias de cena" a preto e branco, cuja importância patrimonial transcende a mera curiosidade histórica, ou a ilustração duma prática obsoleta.


É assumidamente uma parte integrante da nossa herança visual coletiva, tantas e tantas vezes registo único de obras e figuras que de outra forma seriam apenas uma recordação distante para alguns, ou parte da matéria volátil de que se fazem as memórias perdidas.


É nesse contexto que o Centro Português de Fotografia, em parceria com a RTP, inaugura esta sexta-feira, 31 de março, pelas 21,30 horas, a exposição "Fotografia de Cena na Era do Preto e Branco".


A exposição estará patente ao público, no edifício da antiga Cadeia e Tribunal da Relação do Porto, sede do CPF, até ao dia 2 de julho. A entrada é livre.


No dia da inauguração, o CPF manterá as portas abertas excecionalmente até à meia noite.

Porto Ponto. Diário.
Câmara revela finalistas do Prémio Paulo Cunha e Silva
A Câmara do Porto revelou hoje os nomes dos 48 artistas internacionais finalistas do Prémio Paulo Cunha e Silva, escolhidos por um comité de seleção que inclui alguns dos curadores mais relevantes a nível internacional.
Câmara revela finalistas do Prémio Paulo Cunha e Silva
A Câmara do Porto revelou hoje os nomes dos 48 artistas internacionais finalistas do Prémio Paulo Cunha e Silva, escolhidos por um comité de seleção que inclui alguns dos curadores mais relevantes a nível internacional.
A Câmara do Porto revelou hoje os nomes dos 48 artistas internacionais finalistas do Prémio Paulo Cunha e Silva, escolhidos por um comité de seleção que inclui alguns dos curadores mais relevantes a nível internacional.

A lista completa dos artistas nomeados foi divulgada com a disponibilização do website do Prémio Paulo Cunha e Silva, projeto da Câmara do Porto que homenageia o vereador da Cultura que exerceu funções de setembro de 2013 até ao seu falecimento, a 11 de novembro de 2015: www.pcsartprize.com

Apoiado pela Fundação Millenium bcp, este prémio, destinado a artistas internacionais com menos de 40 anos, tem um valor monetário de 25.000 euros e o seu vencedor apresentará uma exposição individual em 2018, na Galeria Municipal do Porto.

Para júri da primeira edição do Prémio, o Pelouro da Cultura convidou João Laia, Julião Sarmento, Meg Stuart e Vicente Todolí.

Estes quatro elementos indicaram posteriormente um conjunto de 16 curadores de relevo internacional - como Hans Ulrich Obrist (Serpentine Galleries, Reino Unido), Elena Filipovic (Kunsthalle Basel, Suíça), Nancy Spector (Guggenheim Museum, EUA), Catherine Wood (Tate Modern, Reino Unido), Benjamin Weil (Centro Botín, Espanha) ou Venus Lau (OCAT Shenzen, China) - tendo cada curador nomeado três artistas.

Assim se apuraram os 48 nomeados, de geografias e percursos artísticos muito diversos, que estão agora na fase final do prémio. O nome do artista vencedor será anunciado em junho.

Todas as informações sobre o Prémio estão disponíveis aqui.
Porto Ponto. Diário.
Porto celebra hoje o Dia do Piano com concerto às 19h
O Porto assinala hoje o Piano Day com um evento que tem lugar no Palacete dos Viscondes de Balsemão, às 19 horas. O programa inclui a atuação de vários pianistas.
Porto celebra hoje o Dia do Piano com concerto às 19h
O Porto assinala hoje o Piano Day com um evento que tem lugar no Palacete dos Viscondes de Balsemão, às 19 horas. O programa inclui a atuação de vários pianistas.
O Porto assinala hoje o Piano Day com um evento que tem lugar no Palacete dos Viscondes de Balsemão, às 19 horas. O programa inclui a atuação de vários pianistas.

O Piano Day foi instituído em 2015 por iniciativa do compositor Nils Frahm e é celebrado um pouco por tudo o mundo, sempre no 88º dia do ano por relação com o número de teclas do piano.

O concerto desta tarde conta com a atuação dos pianistas Martino Simone, Hélder Bruno, João Páris e Paulo Barros.

As portas do Palacete dos Viscondes de Balsemão, na Praça de Carlos Alberto, abrem às 19 horas e a música tem início às 19,30 horas. A entrada é gratuita mediante inscrição aqui.
Porto Ponto. Diário.
Câmara deu a conhecer aos moradores do Bairro Leão XIII projeto de intervenção para o espaço público
A Câmara do Porto apresentou aos moradores do Bairro Leão XIII, em Aldoar, o projeto de requalificação do espaço público. A intervenção inclui, para além do alargamento dos passeios e do estacionamento, a reabilitação do pavimento e dos espaços verdes. O investimento ultrapassa os 600 mil euros.
Câmara deu a conhecer aos moradores do Bairro Leão XIII projeto de intervenção para o espaço público
A Câmara do Porto apresentou aos moradores do Bairro Leão XIII, em Aldoar, o projeto de requalificação do espaço público. A intervenção inclui, para além do alargamento dos passeios e do estacionamento, a reabilitação do pavimento e dos espaços verdes. O investimento ultrapassa os 600 mil euros.

A Câmara do Porto apresentou aos moradores do Bairro Leão XIII, em Aldoar, o projeto de requalificação do espaço público.  


A sessão, que decorreu quinta-feira passada, na sede da União das Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, contou com a presença da vereadora do Pelouro da Mobilidade, Cristina Pimentel, do presidente da União de Freguesias, Nuno Ortigão e da administradora executiva da empresa municipal de Gestão de Obras Públicas (GOP), Cátia Meirinhos.

 

Os moradores tiveram a oportunidade de dar sugestões e colocar questões sobre a intervenção, junto do arquiteto Camilo Cortesão e da arquiteta Mercês Vieira, do gabinete de arquitetura MVCC, responsável pelo projeto.

 

A obra, a cargo da GOP, prevê soluções ao nível do alargamento dos passeios e do estacionamento, da melhoria das infraestruturas subterrâneas e da reabilitação do pavimento e dos espaços verdes.

 

Em breve será lançado o concurso público para esta intervenção, cujo investimento ultrapassa os 600 mil euros. A obra tem início previsto para o segundo semestre deste ano.

Porto Ponto. Diário.
Cinema Trindade já vendeu o cartão Tripass n.º 1000
O regresso do cinema à Baixa está a fazer-se com grande força e a adesão do público cinéfilo ao cartão Tripass é mostra disso mesmo, tendo o Trindade vendido esta semana o n.º 1000.
Cinema Trindade já vendeu o cartão Tripass n.º 1000
O regresso do cinema à Baixa está a fazer-se com grande força e a adesão do público cinéfilo ao cartão Tripass é mostra disso mesmo, tendo o Trindade vendido esta semana o n.º 1000.
O regresso do cinema à Baixa está a fazer-se com grande força e a adesão do público cinéfilo ao cartão Tripass é mostra disso mesmo, tendo o Trindade vendido esta semana o n.º 1000.

Lançado no início do ano pela Câmara do Porto, o Tripass custa apenas 10 euros, tem validade de um ano, proporciona um bilhete gratuito para uma sessão à escolha no ato da sua compra e, ainda, 25% de desconto nas restantes sessões, sendo válido para assistir cinema no Trindade, Rivoli, Teatro Campo Alegre e Passos Manuel.

O agrado do público é demonstrativo do interesse suscitado pela iniciativa, para mais se tivermos em conta que a programação diária do Trindade teve início somente há um mês e meio.

Conheça melhor o Tripass e as suas vantagens aqui.
Porto Ponto. Diário.
ClimateLaunchpad: UPTEC vai premiar as melhores ideias para o ambiente
O Parque de Ciência de Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) e a Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) juntam-se para promover o ClimateLaunchpad em Portugal. Este programa da União Europeia vai oferecer mais de 15 mil euros em prémios às melhores ideias que reduzam o impacto negativo no ambiente. As candidaturas estão abertas.
ClimateLaunchpad: UPTEC vai premiar as melhores ideias para o ambiente
O Parque de Ciência de Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC) e a Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) juntam-se para promover o ClimateLaunchpad em Portugal. Este programa da União Europeia vai oferecer mais de 15 mil euros em prémios às melhores ideias que reduzam o impacto negativo no ambiente. As candidaturas estão abertas.

O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), em parceria com a Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI), promovem em Portugal o ClimateLaunchpad, um programa da União Europeia, presente em 35 países, para apoiar ideias que reduzam o impacto negativo no ambiente.


No ano passado, a iniciativa recebeu perto de 700 candidaturas de 30 países e totalizou um investimento de cerca de um milhão de euros. Tallin, na Estónia, foi o palco da final internacional, que juntou 87 equipas concorrentes e premiou as dez melhores ideias.


Os prémios para as melhores ideias superam os 15 mil euros, com o vencedor da final internacional do ClimateLaunchpad a receber 10 mil euros.


Todos os projetos selecionados para o programa receberão apoio na gestão e validação da ideia de negócio, preparação para pitch e acesso à rede internacional de contactos do ClimateLaunchpad.


Para concorrer, basta ter uma ideia de negócio relacionada com energias renováveis, eficiência energética, agricultura, água, transportes, tecnologia industrial, entre outras.


Por participar, os candidatos terão também a oportunidade de frequentar um bootcamp de dois dias com um formador certificado, sessões de mentoria e a apresentação do negócio a um painel de especialistas nacionais e internacionais.


Em Portugal, a competição teve a sua estreia em 2016, pela mão da UPTEC e da SPI. A rede de parceiros do programa integrou entidades como a EDP, a Câmara do Porto, a Microsoft e a Lipor.


A final nacional do ClimateLaunchpad 2017 terá lugar a 22 de junho no UPTEC. Já a final internacional decorrerá, este ano, em Chipre, a 17 e 18 de outubro. As candidaturas estão abertas até ao dia 7 de maio.

Porto Ponto. Diário.
Porto Graphics Jam está de regresso a 22 e 23 de abril
O evento que junta mais de uma centena de participantes a competir e cooperar para criar um jogo em 32 horas está de volta nos dias 22 e 23 de abril. As inscrições são gratuitas e já estão a decorrer.
Porto Graphics Jam está de regresso a 22 e 23 de abril
O evento que junta mais de uma centena de participantes a competir e cooperar para criar um jogo em 32 horas está de volta nos dias 22 e 23 de abril. As inscrições são gratuitas e já estão a decorrer.

É a terceira edição do Porto Graphics Game Jam, o evento que desafia os participantes a criar um jogo em 32 horas.


Organizada pelo grupo de estudantes da área de computação gráfica da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, esta edição decorrerá nos dias 22 e 23 de abril, no Departamento de Ciências de Computadores da Faculdade de Ciências do Porto.


Como costuma acontecer, os participantes vão ter de criar um jogo baseado num tema que só será conhecido no próprio dia do evento.


As inscrições são gratuitas e já estão disponíveis. Os participantes, até um máximo de 150, podem juntar-se em equipas de, no máximo, cinco elementos.


A organização dá liberdade aos participantes para utilizarem as ferramentas que quiserem, desde que cumpra com o requisito de entregar um jogo criado para correr em Windows.


A data limite para as inscrições é o dia 19 de abril. Mais informações aqui.


Porto Ponto. Diário.
Direito de Resposta: «As notícias "falsas" e a Câmara do Porto»
De uma sociedade de advogados do Jornal de Notícias, o www.porto.pt recebeu um pedido de publicação ao abrigo do preceito do Direito de Resposta e Rectificação. Publica-se, por isso, o texto que vem assinado pelo director daquele jornal.
Direito de Resposta: «As notícias "falsas" e a Câmara do Porto»
De uma sociedade de advogados do Jornal de Notícias, o www.porto.pt recebeu um pedido de publicação ao abrigo do preceito do Direito de Resposta e Rectificação. Publica-se, por isso, o texto que vem assinado pelo director daquele jornal.

A Câmara do Porto tem vindo, nos últimos meses, a proceder a sistemáticos ataques públicos ao "Jornal de Notícias". Por não confundirmos as pessoas com as instituições e o interesse público com interesses individuais, temos optado pelo silêncio, prosseguindo aquela que é a nossa missão: informar e servir os leitores. Não podemos, contudo, ignorar a gravidade do comunicado publicado no passado dia 20 de março neste portal de um organismo público, perante o qual se impõem os seguintes esclarecimentos:

 1. O JN publicou a 14 de março uma reportagem com o título "Pressionados para sair da Baixa", partindo de queixas de leitores, sobre residentes no Porto que têm sido contactados por imobiliárias, senhorios e outros para abandonar as suas habitações. A reportagem retrata casos reais e todas as pessoas existem, como não poderia deixar de ser, tendo inclusive sido fotografadas. Não foi alterada a idade de nenhum dos moradores nem adulterado propositadamente, como é dito no sítio oficial da autarquia na Internet, qualquer elemento de identificação.

2. Dos cinco depoimentos recolhidos, a autarquia dedica-se sobretudo a desacreditar o testemunho de Carolina Maria Correia Duarte pelas suas ligações ao PSD, acusando o jornal de, por causa disso, ter propósitos políticos. A jornalista que assina a reportagem ouviu-a, na qualidade de moradora, não conhecendo então sequer a sua filiação. A nota vai mais longe e alega que as ligações de Carolina Duarte ao PSD são conhecidas de "todos os jornalistas" da cidade, incluindo "direções", acusando por isso o JN de "sonegar" propositadamente informação. É uma acusação grave, falsa e que coloca na base da referida reportagem uma intencionalidade que nunca existiu.

 3. Ainda que se possa admitir que a opinião de Carolina Duarte possa ter uma motivação política, em nenhum momento esse testemunho condicionou ou influenciou os restantes depoimentos. Os cinco casos relatados são independentes entre si, foram reunidos através de diferentes fontes e não têm qualquer elo político ou de outra natureza.

 4. O comunicado chega a questionar a veracidade ou a forma como foi obtida a fotografia de um dos casais. Todas as fotografias foram feitas por fotojornalistas e todos os procedimentos são verificáveis por qualquer instância, não podendo o JN admitir as insinuações feitas em nome da autarquia. Mais, o testemunho de Isaura Pinheiro, que a Câmara filmou para alegadamente desmentir a reportagem do JN, em nada contraria o que nela se afirma. Basta reler a passagem em que a referida moradora salienta a sorte de ter "um bom senhorio". O comunicado da Câmara do Porto procura criar incongruências onde elas não existem.

 5. Além dos referidos moradores, foram ouvidos a Associação dos Inquilinos e Condóminos do Norte e um advogado que defende diversos moradores e que descreve os mecanismos encapotados para facilitar a venda de imóveis. Ouvimos, para a reportagem, dezenas de pessoas e recolhemos diferentes contributos.

 6. O JN não tem agenda política, não faz campanha por qualquer candidatura e respeita escrupulosamente as regras legais e deontológicas. O nosso único compromisso é com os leitores, em respeito pela verdade e pelo estatuto editorial que nos orgulhamos de seguir. A referida reportagem procura simplesmente traduzir uma realidade da cidade e refletir sobre o seu crescimento. Uma reflexão que a todos, moradores e instituições da região, deve envolver e inquietar, sem que para isso tenha de se procurar qualquer outra motivação que não apenas a de dar voz ao território em que nos inserimos.

O "noticiado" pela CMP é, pois, total e/ou genericamente falso, e inexacto, colocando o bom nome de um jornal centenário em contextos que lhe são completamente estranhos e demonstrando o crédito que é devido às afirmações por si feitas.

 

7. O "Jornal de Notícias" é o único órgão de implantação nacional feito no Porto, para o Porto e a partir do Porto para todo o país. Como sempre foi.

A prática "editorial" perpetrada pela CMP não esclarece, nem informa o público, e o recurso a insinuações e a ideias falsas (que por essa prática querem tornar verídicas) é ofensiva do crédito, prestígio e confiança que o "Jornal de Notícias" merece e gravemente atentatória do profissionalismo de todos os que aqui trabalham.

8. Embora percebendo que se aproxima um período de campanha eleitoral, não admitiremos que a estratégia de desacreditar o JN seja feita com recurso a falsidades e afirmações que difamam profissionalmente os seus jornalistas e a memória de uma instituição com 128 anos de história. Esta Direção continuará a fazer, como faz desde que assumiu os destinos deste diário em novembro de 2014, a defesa intransigente do trabalho do JN por todas as vias necessárias. Continuaremos, como em todas as matérias que publicamos, a questionar e a tentar ouvir a Câmara. Continuaremos a fazer jornalismo. Tudo o resto é ruído de campanha eleitoral.

O JN não deixará de atuar, nas jurisdições e foros competentes, em relação a todas e cada uma das falsas e caluniosas afirmações feitas pela CMP.

Afonso Camões

Director do "Jornal de Notícias"


Artigos relacionados:

Notícia do JN

Artigo Porto.pt

Porto Ponto. Diário.
Partilhado com sucesso