Como foi vista a nossa Russa no Festival de Cinema de Berlim
O filme de João Salaviza e Ricardo Jr., que a Câmara do Porto mandou produzir no âmbito do programa Cultura em Expansão, não é um filme sobre o Bairro do Aleixo. Mas é a partir dele que se aborda um tema atual. E o tema é a habitação nas cidades no século XXI.
Como foi vista a nossa Russa no Festival de Cinema de Berlim
O filme de João Salaviza e Ricardo Jr., que a Câmara do Porto mandou produzir no âmbito do programa Cultura em Expansão, não é um filme sobre o Bairro do Aleixo. Mas é a partir dele que se aborda um tema atual. E o tema é a habitação nas cidades no século XXI.

O filme de João Salaviza e Ricardo Jr., que a Câmara do Porto mandou produzir no âmbito do programa Cultura em Expansão, não é um filme sobre o Bairro do Aleixo. Mas é a partir dele que se aborda um tema atual. E o tema é a habitação nas cidades no século XXI.


O modelo de habitação social em altura, criado nos anos 60 e 70 em Portugal mas também em muitos países europeus, levou dos centros históricos milhares de pessoas para as periferias ou para zonas menos valiosas das cidades.
Agora, que essas zonas se tornam mais apetitosas para o setor imobiliário, o "problema" que reside dentro desses arranha-céus são as pessoas, agora já não mais desejadas naquele local, de novo.

Foi mais ou menos isto que João Salaviza, realizador premiado em 2012 com um Urso de Ouro, e que agora volta a Berlim com o filme "Russa", rodado no Bairro de Aleixo, foi dizer à plateia na sempre importante conversa, pós exibição.
Não conseguimos ter a certeza, mas parece ser a primeira vez que um filme produzido por uma Câmara Municipal chega à secção competitiva deste que é um dos mais importantes festivais de cinema do Mundo.

Na plateia estava Helena, a "Russa" no filme que retrata a sua chegada ao bairro, depois de um período na prisão. Ali, já não encontra as cinco torres do Aleixo, mas apenas três, depois de impulsão a que duas delas foram sujeitas há cerca de seis anos.
A "Russa" acabou por ser uma das estrelas do dia no festival e até recebeu abordagens de outros realizadores estrangeiros para filmar...

O Porto levou ao mundo uma realidade que não é exclusivamente sua, e como disse Salaviza, por muito bem que faça uma Câmara Municipal, o processo de gentrificação é, por vezes, mais forte.

Será a melhor imagem da cidade que se pode levar a Berlim? Não será, mas fica pelo menos em Berlim e no mundo uma certeza, no Porto, os problemas não são atirados para debaixo do tapete. Nem os problemas, nem as pessoas.

Porto Ponto. Diário.
Projeto "O Porto é lindo!" proporciona a novo grupo de seniores uma visita guiada aos Clérigos
Semanalmente, sempre às quartas-feiras, a Câmara do Porto proporciona a comunidades seniores da cidade um programa de grande interesse cultural e de convívio. Lançado em janeiro, o projeto "O Porto é Lindo! - Roteiros Turísticos +65" prossegue amanhã com a segunda visita guiada ao Conjunto Arquitetónico dos Clérigos.
Projeto "O Porto é lindo!" proporciona a novo grupo de seniores uma visita guiada aos Clérigos
Semanalmente, sempre às quartas-feiras, a Câmara do Porto proporciona a comunidades seniores da cidade um programa de grande interesse cultural e de convívio. Lançado em janeiro, o projeto "O Porto é Lindo! - Roteiros Turísticos +65" prossegue amanhã com a segunda visita guiada ao Conjunto Arquitetónico dos Clérigos.
Semanalmente, sempre às quartas-feiras, a Câmara do Porto proporciona a comunidades seniores da cidade um programa de grande interesse cultural e de convívio. Lançado em janeiro, o projeto "O Porto é Lindo! - Roteiros Turísticos +65" prossegue amanhã com uma visita guiada ao Conjunto Arquitetónico dos Clérigos. 

Um grupo de 24 seniores do Centro Social do Exército de Salvação - Centro Comunitário do Porto terá a oportunidade de visitar um dos locais mais representativos da cidade. Será a segunda visita aos Clérigos no âmbito deste projeto municipal, que na semana passada deu início ao seu segundo percurso temático, "Igrejas com história e com estórias". No dia 14 de fevereiro, viveram a experiência vários utentes do Lar Monte dos Burgos.

"O Porto é lindo! - Roteiros Turísticos +65" consiste na realização de visitas guiadas a vários espaços emblemáticos da cidade e destina-se a pessoas com mais de 65 anos. Entre janeiro e fevereiro, os Paços do Concelho do Porto foram o palco para o primeiro ciclo de visitas. Cerca de 100 pessoas, provenientes de várias instituições da cidade, tiveram a oportunidade de conhecer os espaços mais significativos do interior do edifício da Câmara.

Este novo projeto municipal tem como objetivo proporcionar aos cidadãos seniores uma ocupação de qualidade do seu tempo livre, dando-se o património móvel, imóvel, cultural e sacro como ferramenta de enriquecimento cultural e de fortalecimento de espírito de cidadania "à moda do Porto".

Durante o primeiro semestre do ano está prevista a organização de visitas em torno de quatro percursos temáticos: "Equipamentos Históricos, Monumentais, Patrimoniais e Culturais"; "Igrejas com história e com estórias" "Novos equipamentos marcantes na cidade"; "Equipamentos Paisagísticos e Ambientais".

Para o percurso "Igrejas com história e com estórias", selecionaram-se o Conjunto Arquitetónico dos Clérigos, a Sé Catedral do Porto e o conjunto formado pelas Igrejas dos Carmelitas Descalços e da Venerável Ordem Terceira de Nª Sra. do Carmo.

Do percurso "Equipamentos Históricos, Monumentais, Patrimoniais e Culturais" fazem parte o Edifício dos Paços do Concelho, o Palácio da Bolsa, a Casa do Infante, o Museu do Carro Elétrico da Cidade do Porto e a Biblioteca Pública Municipal do Porto.

O percurso "Equipamentos Paisagísticos e Ambientais" engloba a Casa da Música, o Museu e Estádio do Dragão, o Planetário do Porto, o Pavilhão da Água, o SEA LIFE Porto e o World Of Discoveries.

Por último, o percurso "Equipamentos Paisagísticos e Ambientais" são constituídos pelos Jardins do Palácio de Cristal, pelos Jardins e Quinta de Serralves e pela Casa Andresen-Jardim Botânico do Porto.
Porto Ponto. Diário.
38.ª edição do Fantasporto começa hoje no Rivoli
É com uma antestreia nacional que começa hoje a 38.ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto: a abertura oficial do Fantasporto 2018 realiza-se às 21,15 horas, no Grande Auditório do Teatro Rivoli, com a exibição de "O Segredo de Marrowbone", de Sergio Sanchez.
38.ª edição do Fantasporto começa hoje no Rivoli
É com uma antestreia nacional que começa hoje a 38.ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto: a abertura oficial do Fantasporto 2018 realiza-se às 21,15 horas, no Grande Auditório do Teatro Rivoli, com a exibição de "O Segredo de Marrowbone", de Sergio Sanchez.
É com uma antestreia nacional que começa hoje a 38.ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto: a abertura oficial do Fantasporto 2018 realiza-se às 21,15 horas, no Grande Auditório do Teatro Rivoli, com a exibição de "O Segredo de Marrowbone", de Sergio Sanchez.

A estrear-se em sala no dia 1 de março, "O Segredo de Marrowbone" conta a história de um jovem e dos seus três irmãos, "acossados por uma presença sinistra no amplo palacete onde vivem", lê-se na sinopse da primeira longa-metragem de Sanchez, que foi nomeado para o Goya de melhor novo realizador.

O festival prossegue até 4 de março, sempre no Rivoli. A abertura das sessões competitivas será feita na sexta-feira, com a exibição de "Anna Karenina: Vronsky's Story", de Karen Shakhnazarov.
A sessão de encerramento, no dia 3 de março, conta com a exibição de "Le Fidèle", de Michael R. Roskam, que foi o candidato belga ao Óscar de melhor filme estrangeiro.

Com crescente prestígio internacional, o FANTAS traz ao Porto uma seleção de quase 120 filmes de mais de 60 países.
Cinema Fantástico, Semana dos Realizadores, Orient Express e Cinema Português são as quatro secções que compõem a edição.

No seu âmbito, decorrerão três antestreias mundiais de filmes portugueses - "Uma Vida Sublime", de Luís Diogo; "Doutores Palhaços", de Bernardo Lopes e Helder Faria; e "Aparição", de Fernando Vendrell, a partir do romance homónimo de Vergílio Ferreira.

O festival vai ainda homenagear Lauro António e contar com oito universidades e escolas de cinema, no prémio de Cinema Português.
Adicionalmente, será realizada uma retrospetiva do realizador de Taiwan Chang Tso-Chi e uma mostra do que classifica como "Taiwan B-Movies", dos anos 1970 e 1980.

Veja o programa do Fantasporto aqui.

Porto Ponto. Diário.
Centenas de árvores e arbustos autóctones vão florestar o Nó de Francos
Vão ser plantados no Nó de Francos, uma das áreas integradas na Rede de Biospots do Porto, mais de 600 exemplares de espécies de árvores e arbustos autóctones. Este é mais um importante contributo para o estabelecimento de uma rede de áreas de floresta urbana no Porto, destinada a promover a biodiversidade, os serviços dos ecossistemas, a adaptação às alterações climáticas e a amenização paisagística.
Centenas de árvores e arbustos autóctones vão florestar o Nó de Francos
Vão ser plantados no Nó de Francos, uma das áreas integradas na Rede de Biospots do Porto, mais de 600 exemplares de espécies de árvores e arbustos autóctones. Este é mais um importante contributo para o estabelecimento de uma rede de áreas de floresta urbana no Porto, destinada a promover a biodiversidade, os serviços dos ecossistemas, a adaptação às alterações climáticas e a amenização paisagística.
Vão ser plantados no Nó de Francos, uma das áreas integradas na Rede de Biospots do Porto, mais de 600 exemplares de espécies de árvores e arbustos autóctones. Este é mais um importante contributo para o estabelecimento de uma rede de áreas de floresta urbana no Porto, destinada a promover a biodiversidade, os serviços dos ecossistemas, a adaptação às alterações climáticas e a amenização paisagística.

Aveleiras, freixos, azevinhos, macieiras-bravas, cerejeiras-bravas, teixos, bétulas ou medronheiros são algumas das 21 espécies a plantar, num total de 602 exemplares. A intervenção, a segunda no âmbito da Rede de Biospots do Porto, foi desenhada após um diagnóstico quer das espécies e número de exemplares já existentes quer das desejáveis no local, de modo a se otimizar a retenção de poluentes atmosféricos, promover a biodiversidade e aumentar a qualidade paisagística do espaço.

No âmbito deste levantamento, concluiu-se pela necessidade de remover do local 30 exemplares de espécies invasoras (21 Robinea pseudoacacia, 1 Acacia melanoxylon, 1 Myoporum laetum, 3 Buddleja davidii), em situação fitossanitária débil (1 Acer negundo) ou em situação de risco (3 Liquidambar styraciflua). Estas 30 plantas serão, pois, subtraídas ao número total já existente (174).

O Plano de Intervenção do Nó de Francos foi delineado por uma equipa técnica que incluiu especialistas da área da arquitetura paisagista e biologia (equipa do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto), bem como técnicos da Câmara do Porto e das Infraestruturas de Portugal. O Plano foi, ainda, submetido ao Grupo Consultivo que reúne especialistas das áreas da Saúde Ambiental, Paisagismo, Biologia e Geografia, tendo sido ajustado de acordo com os pareceres recebidos.

As intervenções no terreno são levadas a cabo pelas Infraestruturas de Portugal, com o acompanhamento técnico da equipa do FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto.

Nó de Francos é a segunda área da Rede de Biospots

A intervenção no Nó de Francos é a segunda no âmbito da Rede de Biospots do Porto. A primeira aconteceu no Nó do Regado em fevereiro de 2017, tendo sido instaladas 762 árvores e arbustos.

A Rede de Biospots do Porto é constituída por 14 áreas que se distribuem ao longo dos eixos de circulação principais (nós, taludes, áreas verdes laterais), totalizando uma área útil de 17 hectares. Estão incluídos na intervenção vários nós da Via de Cintura Interna (VCI).

Até 2021 serão instaladas e mantidas cerca de 10.000 novas árvores e arbustos nestas áreas, que oferecerão à cidade e aos portuenses serviços ?invisíveis', como por exemplo a retenção de poluentes atmosféricos e o armazenamento de carbono, cujo valor estimado é de 500.000 euros por ano (quando adultas). Além disso, têm o potencial de armazenar aproximadamente 50 toneladas de carbono por ano, contribuindo para as medidas previstas no Plano de Mitigação e Adaptação às Alterações Climáticas do Porto.

O investimento permite igualmente poupar recursos públicos a médio prazo (cerca de 25.000 euros por ano em custos de manutenção).
A Rede de Biospots do Porto é um projeto promovido pelo Município do Porto numa parceria com a Infraestruturas de Portugal S.A. e a Área Metropolitana do Porto, e está enquadrado no FUTURO - projeto das 100.000 árvores na Área Metropolitana do Porto.

Ao abrigo da corrente revisão do PDM serão identificadas novas zonas para a expansão da Rede Biospots.

Porto Ponto. Diário.
Musical solidário chega em abril para ajudar a cumprir sonhos de crianças doentes
Vai ser possível encontrar a "Terra dos Sonhos", em versão musical, nos dias 1 e 2 de abril na Casa da Música. As receitas do espetáculo, com sessões marcadas para as 21,30 horas, reverterão a favor de organização empenhada em cumprir os sonhos de crianças, jovens e idosos em situações sensíveis.
Musical solidário chega em abril para ajudar a cumprir sonhos de crianças doentes
Vai ser possível encontrar a "Terra dos Sonhos", em versão musical, nos dias 1 e 2 de abril na Casa da Música. As receitas do espetáculo, com sessões marcadas para as 21,30 horas, reverterão a favor de organização empenhada em cumprir os sonhos de crianças, jovens e idosos em situações sensíveis.
Vai ser possível encontrar a "Terra dos Sonhos", em versão musical, nos dias 1 e 2 de abril na Casa da Música. As receitas do espetáculo, com sessões marcadas para as 21,30 horas, reverterão a favor de organização empenhada em cumprir os sonhos de crianças, jovens e idosos em situações sensíveis.
  
O musical, concebido pela encenadora Matilde Trocado em 2017 para assinalar o 10.º aniversário da organização social Terra dos Sonhos, volta assim a subir ao palco, de modo a possibilitar a concretização de mais sonhos. A história é contada na sala de espera de um hospital, onde pode ser difícil acreditar em sonhos, mas a Marta, que tem 10 anos, e o Daniel, de 15, vão perceber como vale a pena sonhar e vão viver essa aventura.



A Terra dos Sonhos dedica-se à realização dos sonhos de crianças e jovens diagnosticados com doenças crónicas ou em estado avançado, bem como de crianças, jovens e idosos carenciados, ajudando a transmitir uma mensagem de esperança na possibilidade de concretização dos  objetivos mais inspiradores, independentemente de circunstâncias, condicionamentos e limitações.
Procura, neste contexto, "Sensibilizar, Inspirar e Capacitar a sociedade para a importância do bem estar emocional e mental na qualidade de vida e saúde física das pessoas e implementar ferramentas de bem estar emocional para os segmentos da sociedade cuja situação de saúde física ou emocional se encontre especialmente debilitada".

Os bilhetes das duas apresentações na Casa da Música revertem para a entidade social, têm um preço unitário de 15 euros e já se encontram à venda
Porto Ponto. Diário.
Partilhado com sucesso