Espetáculo Danças do Mundo vai iluminar a noite
À meia noite começa o tradicional fogo de artifício. Com várias inovações, o espetáculo "Músicas do Mundo" promete chamar milhares à Ribeira. Como sempre, é rodeado por rigorosas medidas de segurança.
Espetáculo Danças do Mundo vai iluminar a noite
À meia noite começa o tradicional fogo de artifício. Com várias inovações, o espetáculo "Músicas do Mundo" promete chamar milhares à Ribeira. Como sempre, é rodeado por rigorosas medidas de segurança.

À meia noite começa o tradicional fogo de artifício. Com várias inovações, o espetáculo "Músicas do Mundo" promete chamar milhares à Ribeira. Como sempre, é rodeado por rigorosas medidas de segurança.


A ponte Luiz I torna a ser o elemento fulcral do espetáculo. Há ainda cinco plataformas de lançamento no meio do rio. Inclui várias inovações, como um ecrã pirotécnico que ocupará todo o arco da ponte e a utilização de um sistema de Laser RGB que contempla os inúmeros efeitos pirotécnicos.


O tema central do espetáculo é "Danças do Mundo", pelo que todos os momentos são marcados por uma grande variedade de ritmos musicais que o público facilmente identificará com os respetivos estilos de dança: desde o pop ao rock n' roll, da salsa ao tango e até a calsa, sem esquecer o cancan e a house/dance.


A banda sonora inclui dez temas e abre com a música vencedora do festival da Eurovisão, "Amar pelos Dois", de Salvador Sobral. O tema "Don't you worry child", dos Swedish House Mafia, é a faixa eleita para o grande final.


Como elemento fulcral da coreografia, a ponte Luiz I ganha ao longo do seu arco e tabuleiro superior 30 posições pirotécnicas.


Já o "ecrã" pirotécnico tem 34 posições pirotécnicas, produzindo um efeito nunca antes realizado durante os festejos de São João. Esta estrutura vai permitir a dinamização de vários momentos de animação pirotécnica durante o espetáculo, marcando alguns quadros de forma especial.


Em complemento, o sistema de Laser RGB, colocado ao centro do tabuleiro inferior da ponte, promete potenciar ainda mais a interação entre a banda sonora, assente na dança, e o design pirotécnico, pela intensidade, cor, variedade e alcance dos raios luminosos e multicoloridos.


De resto, conte-se com a tradicional cascata prateada, desde o tabuleiro superior da ponte até ao nível do rio (numa extensão de 180 metros de altura) e o letreiro pirotécnico, estreado no ano passado, para a projeção da palavra "S. JOÃO", em que cada caractere tem a dimensão de 20mX12m.


O espetáculo pirotécnico de São João tem um custo total de 54.560 euros e é suportado pelas Câmaras do Porto e de Vila Nova de Gaia. Como sempre, é rodeado por medidas de segurança. Conforme já esclareceu o gabinete de imprensa da PSP do Porto, o evento "está devidamente licenciado" e não integra foguetes de cana, que estão proibidos.

Porto Ponto. Diário.
Avenida vibrou ao som da Banda Sinfónica Portuguesa
A Banda Sinfónica Portuguesa abriu ontem a primeira noite dos Concertos na Avenida, perante milhares de pessoas que acorreram aos Aliados. Dirigida pelo maestro Francisco Ferreira, trouxe um repertório dedicado à cidade.
Avenida vibrou ao som da Banda Sinfónica Portuguesa
A Banda Sinfónica Portuguesa abriu ontem a primeira noite dos Concertos na Avenida, perante milhares de pessoas que acorreram aos Aliados. Dirigida pelo maestro Francisco Ferreira, trouxe um repertório dedicado à cidade.

A Banda Sinfónica Portuguesa abriu ontem a primeira noite dos Concertos na Avenida, perante milhares de pessoas que acorreram aos Aliados.


Dirigida pelo maestro Francisco Ferreira, os 70 instrumentistas que compõem a formação trouxeram um repertório dedicado à cidade, com vários clássicos da música popular portuguesa, de nomes como Sérgio Godinho, Vitorino, Carlos Paião, Rui Veloso ou GNR.


Do alinhamento fizeram parte temas como "Chico Fininho", "Vinho do Porto" ou "Pronúncia do Norte", mas foi ao som do "Porto Sentido", de Rui Veloso, que a multidão vibrou mais intensamente.


Os Concertos na Avenida voltam, em 2017, a ser uma das grandes atrações da programação das Festas de São João do Porto. Hoje sobem ao palco os Trabalhadores do Comércio, seguidos dos GNR & Convidados; e sábado são as vozes femininas a ter destaque com Marta Ren & The Groovelvets e os Clã de Manuela Azevedo.



Porto Ponto. Diário.
CMP vai lançar o concurso que tornará Matadouro em pólo de desenvolvimento de Campanhã e do Bonfim
Os vereadores vão ficar a conhecer, em reunião pública de Executivo, na próxima terça-feira, o concurso que a Câmara do Porto vai lançar nos próximos dias para a reabilitação do Matadouro de Campanhã, que assim se transformará num espaço empresarial de cultura, inovação e coesão social. O projeto preliminar, apresentado na Trienal de Milão, em abril de 2016, está agora pronto para ser posto a concurso.
CMP vai lançar o concurso que tornará Matadouro em pólo de desenvolvimento de Campanhã e do Bonfim
Os vereadores vão ficar a conhecer, em reunião pública de Executivo, na próxima terça-feira, o concurso que a Câmara do Porto vai lançar nos próximos dias para a reabilitação do Matadouro de Campanhã, que assim se transformará num espaço empresarial de cultura, inovação e coesão social. O projeto preliminar, apresentado na Trienal de Milão, em abril de 2016, está agora pronto para ser posto a concurso.

Os vereadores vão ficar a conhecer, em reunião pública de Executivo, na próxima terça-feira, o concurso que a Câmara do Porto vai lançar nos próximos dias para a reabilitação do Matadouro de Campanhã, que assim se transformará num espaço empresarial de cultura, inovação e coesão social. O projeto preliminar, apresentado na Trienal de Milão, em abril de 2016, está agora pronto para ser posto a concurso.


O modelo de reabilitação e gestão, bem como a calendarização, serão apresentados aos vereadores pela equipa que tem a seu cargo a definição do caderno de encargos.




A obra deverá ficar pronta a meio do próximo mandato e a adaptação do espaço irá permitir alocar várias valências-chave, que assentam nos três eixos da governação da cidade propostos pelo independente Rui Moreira: coesão social, economia e cultura.


O antigo Matadouro irá dedicar áreas a empresas criativas e tecnológicas nacionais e internacionais; à arte e à comunidade e a projetos sociais e artísticos, em articulação com o tecido social de Campanhã.


A proposta apresenta particular cuidado na recuperação e manutenção de grande parte da construção original, que se encontra maioritariamente em estado de degradação, dotando-a, de modo subtil possível, de todas as infraestruturas necessárias para a implantação das várias valências.


A filosofia da recuperação do espaço tem por base a tentativa de preservação da imagem de caráter fortemente industrial que ainda hoje marca aquele conjunto arquitetónico. O desenho dos novos espaços necessários para dar resposta ao programa delineado, nomeadamente, os auditórios, acervos, galerias e escritórios, respeita a estrutura e métrica atualmente existentes no local.


Está contemplada uma passagem privilegiada e ligação ao Metro para servir visitantes, trabalhadores e a população residente na zona da Corujeira.


O antigo Matadouro Industrial de Campanhã encontra-se implantado num terreno com 29 mil metros quadrados e resulta de um projeto aprovado em 1910 pela Câmara do Porto, com entrada em funcionamento na plenitude em 1932 e desativado há mais de 20 anos.


No mandato anterior, o espaço chegou a ser posto à venda pela Câmara do Porto e serviu como armazém e depósito.


Rui Moreira espera que o programa venha a ter um impacto muito significativo nos equilíbrios da cidade e na captação de muitas atenções para a freguesia mais oriental do Porto (Campanhã), com as áreas limítrofes a sofrerem um efeito de contágio positivo. O Matadouro insere-se na política de reabilitação urbana e na definição das áreas de reabilitação lançadas pelo autual executivo para a zona oriental da cidade e articula-se com o projeto já lançado para a construção do Terminal Intermodal de Campanhã.


A apresentação do projeto do antigo Matadouro na 21ª Trienal de Artes, Design e Arquitetura de Milão foi fruto de uma parceria com a ESAD - Escola Superior de Artes e Design. 

Porto Ponto. Diário.
Fitch melhora Outlook do Porto, elogia orçamento saudável e diz que a cidade está melhor que o país
A Fitch Ratings reviu o Outlook do Município do Porto de estável para positivo. O Rating de longo prazo mantém-se em 'BB +' e o de curto prazo continua a ser de 'B'. Esta atualização reflete a revisão da notação do Estado Português, já que as classificações do Porto estão limitadas pelas do Estado soberano Português. Mas a Fitch elogia as boas contas do Porto e dá nota muito favorável à cidade que diz ter-se constituído como o "centro de serviços do Norte".
Fitch melhora Outlook do Porto, elogia orçamento saudável e diz que a cidade está melhor que o país
A Fitch Ratings reviu o Outlook do Município do Porto de estável para positivo. O Rating de longo prazo mantém-se em 'BB +' e o de curto prazo continua a ser de 'B'. Esta atualização reflete a revisão da notação do Estado Português, já que as classificações do Porto estão limitadas pelas do Estado soberano Português. Mas a Fitch elogia as boas contas do Porto e dá nota muito favorável à cidade que diz ter-se constituído como o "centro de serviços do Norte".
A Fitch Ratings reviu o Outlook do Município do Porto de estável para positivo. O Rating de longo prazo mantém-se em 'BB +' e o de curto prazo continua a ser de 'B'. Esta atualização reflete a revisão da notação do Estado Português, já que as classificações do Porto estão limitadas pelas do Estado soberano Português. Mas a Fitch elogia as boas contas do Porto e dá nota muito favorável à cidade que diz ter-se constituído como o "centro de serviços do Norte".
 
Os elogios da Fitch não se ficam por aqui, já que assinala também que o perfil de crédito intrínseco da Câmara do Porto é mais consistente que o cotado pelo rating, devido ao desempenho orçamental saudável e a uma dívida moderada. A gestão prudente e o papel do Município como um centro de serviços no Norte de Portugal são também notas positivas.
 
No comunicado emitido esta semana, a Fitch refere que o Município do Porto demonstrou capacidade de manter uma Margem Operacional alta num ambiente económico difícil, acima de 17% desde 2009. Isso, juntamente com uma flexibilidade de gestão das despesas de capital, permitiu ao Porto registar um excedente antes de variação da dívida.
 
As contas de 2016 confirmam o desempenho consistente da cidade com uma margem operacional de 24%, em parte impulsionada pelos impostos. Os impostos diretos de 105,1 milhões de euros em 2016 aumentaram 21,3% em relação ao ano anterior.
 
O Orçamento inicial de 2017, apresenta uma receita operacional moderada de 153,1 milhões de euros. Inclui uma redução de 10%  da fatura do imposto a pagar pelo contribuinte portuense, com efeito marginal sobre a receita operacional no geral. O cenário base da Fitch prevê indicadores orçamentais mais suaves, embora ainda robustos, para a cidade do Porto em 2017, com margem operacional em torno de 15%.
 
O Porto reduziu a dívida para 33,3 milhões de euros em 2016, de 80,1 milhões de euros em 2015, na sequência do Acordo do  Porto, de 28,7 milhões de euros, utilizado para amortização da dívida. O endividamento ficou no mínimo recorde de 18% no final de 2016 e a administração prevê assumir uma nova dívida em 2017 de cerca de 20 milhões de euros, para financiar a reabilitação/restauração de edifícios e intervenções na via pública.
 
As eleições estão agendadas em outubro de 2017 e a Fitch espera uma continuação da política financeira prudente da cidade. A divulgação de informação é satisfatória e precisa, incluindo os resultados financeiros anuais de todos os organismos públicos dentro do seu perímetro.
Porto Ponto. Diário.
Operação de segurança montada para o São João
A Câmara do Porto tem preparado um detalhado plano de segurança para as Festas de São João, com enfoque nesta noite (23 para 24 de junho), dada a dimensão do evento e a grande afluência de pessoas.
Operação de segurança montada para o São João
A Câmara do Porto tem preparado um detalhado plano de segurança para as Festas de São João, com enfoque nesta noite (23 para 24 de junho), dada a dimensão do evento e a grande afluência de pessoas.

A Câmara do Porto tem preparado um detalhado plano de segurança para as Festas de São João, com enfoque nesta noite (23 para 24 de junho), dada a dimensão do evento e a grande afluência de pessoas.


O plano faz a articulação entre serviços municipais e as diversas entidades responsáveis pela segurança e ordem pública, de modo a minimizar ao máximo os tempos de resposta às situações que venham a surgir.


Para além do habitual dispositivo policial espalhado por toda a cidade, assegurado pela Polícia Municipal e pela Polícia de Segurança Pública, foi ainda constituído um dispositivo para proteção e socorro. Estarão distribuídos por vários locais equipas de socorro, quer em veículos de emergência quer equipas apeadas, de modo a permitir intervenções mais céleres em caso de necessidade ou mesmo na evacuação para o hospital mais próximo, através de corredores de emergência criados para o efeito.


Toda a operação será comandada através do Centro de Gestão Integrada (CGI), instalado no Quartel do Batalhão Sapadores Bombeiros e onde está sediada a coordenação da Proteção Civil, forças policiais, emergência médica, ambiente, gestão de tráfego e transportes.


Recorde-se que o CGI agrega num único espaço os serviços responsáveis pela Mobilidade, Polícia Municipal, Bombeiros, Proteção Civil e Ambiente, contribuindo para o aumento da eficiência e eficácia em diversas áreas.

Porto Ponto. Diário.
Serralves exibe esculturas de Nairy Baghramian
Escultora iraniana Nairy Baghramian ficou fascinada com o espaço e desenhou especificamente para expor ali quatro peças metálicas revestidas a resina, tecido e fibra de vidro.
Serralves exibe esculturas de Nairy Baghramian
Escultora iraniana Nairy Baghramian ficou fascinada com o espaço e desenhou especificamente para expor ali quatro peças metálicas revestidas a resina, tecido e fibra de vidro.
A escultora iraniana Nairy Baghramian, radicada em Berlim, ficou fascinada com o Parque de Serralves, quando o visitou pela primeira vez, e decidiu que queria expor ali o seu trabalho. Desenhou especificamente quatro peças metálicas revestidas a resina, tecido e fibra de vidro, que estão já em exposição sob o título "Cold Shoulder/Ombro Frio".

Esta exposição, resultante do projeto entre a Fundação de Serralves e a Sonae, permite a Nairy Baghramian aprofundar a sua reflexão sobre o conceito de escultura pública.
A artista, nascida em 1971 e considerada pela diretora do Museu de Serralves, Suzanne Cotter, "uma das mais interessantes e entusiasmantes da sua geração", pretende com aquelas quatro peças - inspiradas nos elementos de alfaiataria que são os chumaços dos ombros - representar "gestos artificiais" que interpelam o corpo, a arquitetura e a paisagem.

A permanência de "Cold Shoulder" em Serralves prolonga-se até 14 de dezembro e tem, em paralelo, um conjunto de atividades onde se incluem visitas guiadas e um curso orientado por Gabriela Vaz-Pinheiro.

Porto Ponto. Diário.
Rui Moreira encara a proibição dos balões "com a naturalidade possível"
O presidente da Câmara do Porto encara "com a naturalidade possível" a proibição de lançamento de balões de São João, decidida este ano pelo Governo. Para Rui Moreira, "a antecipação da época dos incêndios é perfeitamente razoável", atendendo não só à tragédia em Pedrógão Grande, mas sobretudo às condições atmosféricas. De resto, o São João mantém-se espetacular, com fogo de artifício "sem qualquer risco".
Rui Moreira encara a proibição dos balões "com a naturalidade possível"
O presidente da Câmara do Porto encara "com a naturalidade possível" a proibição de lançamento de balões de São João, decidida este ano pelo Governo. Para Rui Moreira, "a antecipação da época dos incêndios é perfeitamente razoável", atendendo não só à tragédia em Pedrógão Grande, mas sobretudo às condições atmosféricas. De resto, o São João mantém-se espetacular, com fogo de artifício "sem qualquer risco".

O presidente da Câmara do Porto encara "com a naturalidade possível" a proibição de lançamento de balões de São João, decidida este ano pelo Governo. Para Rui Moreira, "a antecipação da época dos incêndios é perfeitamente razoável", atendendo não só à tragédia em Pedrógão Grande, mas sobretudo às condições atmosféricas. De resto, o São João mantém-se espetacular, com fogo de artifício "sem qualquer risco".


Nestas circunstâncias, salientou, a Câmara fez o que lhe competia, ou seja, de imediato comunicou a portaria que antecipa este ano a época de incêndios e, consequentemente, a proibição dos balões.


O autarca falava esta manhã no Posto de Turismo dos Aliados, um dos locais onde os cidadãos que compraram balões disponibilizados pela Câmara poderão recuperar o valor investido. "As pessoas a quem estávamos a vender balões, como é hábito, nos postos de turismo da cidade podem trazê-los de volta e receber o seu dinheiro".


Recorde-se que o lançamento de um balão de São João pode ter uma contraordenação punida por coima que varia entre os 140 euros e os cinco mil euros, no caso de pessoa singular, e os 800 euros e os 60 mil euros no caso de pessoa coletiva, indica a Portaria n.º 195/2017 ontem publicada.


 


Fogo de artifício sem qualquer risco

O tradicional fogo de artifício, que à meia noite começa sobre o Douro, "está perfeitamente aprovado por todas as autoridades competentes. Não causa qualquer risco de incêndio" - salientou ainda Rui Moreira a propósito do programa que se aproxima. Lembrou, aliás, que "os foguetes de cana, proibidos, não são usados" no aguardado espetáculo pirotécnico, designado este ano "Danças do Mundo".


O fogo de artifício acontece entre concertos na Avenida dos Aliados: a partir das 23 horas atuam os Trabalhadores do Comércio e só pela uma da manhã começam os GNR. "Preferimos adiar um pouco o concerto dos GNR para que as pessoas que vão ver o fogo possam vir para a Avenida com a calma e tranquilidade necessárias", esclareceu.


O São João que chama milhares já não precisa de divulgação

Questionado sobre quantas pessoas são esperadas neste São João na cidade, Rui Moreira revelou a impossibilidade de se avançar com números. "Vêm muitas", isso é certo. De tal modo que a autarquia "já não sente sequer a necessidade de promover" o evento, "nem internacionalmente nem ao nível nacional".

"Diminuímos fortemente o investimento na promoção do São João, já não temos 'press trips', não vale a pena", acrescentou. Mas continua-se a receber bem: por exemplo, no Aeroporto, e através da Associação de Turismo do Porto, "cada turista que chega recebe a agenda das Festas de São João e o nosso martelo".

Porto Ponto. Diário.
Funcionários da Câmara do Porto festejam o São João
Em véspera de São João, a Câmara do Porto promoveu um piquenique a todos os funcionários no Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Município.
Funcionários da Câmara do Porto festejam o São João
Em véspera de São João, a Câmara do Porto promoveu um piquenique a todos os funcionários no Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Município.

Em véspera de São João, a Câmara do Porto promoveu um piquenique a todos os funcionários no Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Município.


Em ambiente de festa, colegas de diferentes departamentos puderam participar em várias atividades recreativas como jogos populares, bailaricos de São João e um jogo de futsal, que opôs o primeiro e segundo classificados do último torneio da modalidade da Câmara do Porto.


A iniciava, que já vai na terceira edição, pretende ser "um espaço de convívio e animação", explicou Guilhermina Rego, vice-presidente da autarquia, "onde as pessoas possam partilhar um momento único e tradicional do Porto que é o São João".



Porto Ponto. Diário.
Esta noite há reforço de autocarros da STCP em paragens especiais na Baixa
A STCP reforça hoje os principais eixos de chegada ao centro do Porto, colocando autocarros articulados e com maior frequência na noite de São João. Há alterações de términos de linhas, com a criação de paragens alternativas próximas dos festejos. No âmbito do Plano de Mobilidade definido pela Câmara, a circulação dos autocarros decorrerá com segurança e fluidez dentro do perímetro da zona condicionada.
Esta noite há reforço de autocarros da STCP em paragens especiais na Baixa
A STCP reforça hoje os principais eixos de chegada ao centro do Porto, colocando autocarros articulados e com maior frequência na noite de São João. Há alterações de términos de linhas, com a criação de paragens alternativas próximas dos festejos. No âmbito do Plano de Mobilidade definido pela Câmara, a circulação dos autocarros decorrerá com segurança e fluidez dentro do perímetro da zona condicionada.

A STCP reforça hoje os principais eixos de chegada ao centro do Porto, colocando autocarros articulados e com maior frequência na noite de São João. Há alterações de términos de linhas, com a criação de paragens alternativas próximas dos festejos. No âmbito do Plano de Mobilidade definido pela Câmara, a circulação dos autocarros decorrerá com segurança e fluidez dentro do perímetro da zona condicionada (veja mapa em anexo).


É "com a máxima capacidade possível em operação", que a STCP propõe-se "oferecer mobilidade para todos os concelhos servidos, com reforços durante toda a noite e madrugada".


Quem quiser chegar ao coração da festa, e conforme a linha da STCP escolhida, sairá em términos especiais nos seguintes locais:

- Rua da Restauração

- Trindade

- Rua do Bolhão

- Mercado do Bolhão 

- S. Lázaro

 

Toda a informação detalhada sobre linhas e horários pode ser encontrada no site da STCP.


Além dos autocarros, recorda-se que também a partir das 20 horas a Metro do Porto reforça os seus serviços em todas as linhas, à exceção da ligação ao Aeroporto.


De igual modo, há comboios e condições especiais garantidas pela CP.


A par da oferta dos transportes públicos, este ano existem parques de estacionamento (assinalados também no mapa em anexo), fora do perímetro da área condicionada, em que se pode usar o Andante.

Porto Ponto. Diário.
Partilhado com sucesso